Coalizão de Luz e Sal

Memórias e impressões da primeira Conferência Nacional da Coalizão pelo Evangelho - TGC Brasil

Nestes últimos dias, de 15 a 17 de maio, participei da primeira Conferência Nacional da Coalizão pelo Evangelho, capítulo nacional da The Gospel Coalition. Foi algo de encher o coração de deleite, os olhos de esperança, e a barriga da mente de palavra de Deus.

Sou um dos membros do conselho da Coalizão pelo Evangelho – TGC Brasil. É uma honra para mim poder ombrear ao lado de alguns dos homens que mais me impressionam nesta vida. Aprendi e ainda aprenderei muito com eles. Sou um dos filhotinhos do grupo, e sou grato a Deus pelo meu papel. Além de me unir a antigos mentores, lá no conselho pude vir a conhecer homens valorosos, que são apenas uma pequena parcela dos muitos pastores fiéis pelo Brasil afora, que não dobraram seus joelhos a Baal. O conselho da Coalizão é composto por 19 homens, sendo que 12 puderam estar no evento deste ano. Foi muito boa a interação e o fortalecimento de nossos vínculos.

Para sediar este primeiro grande encontro, escolhemos a deliciosa cidade de Fortaleza, no Ceará. A ideia é que os encontros nacionais ocorram a cada dois anos e, nesse primeiro, resolvemos ir ao Nordeste. Fortaleza nos recebeu muito bem, com seu Sol, seu mar, suas castanhas, camarões e camaradagem. O evento ocorreu no Hotel Praia Centro, onde centenas de conferencistas de várias partes do país se deliciaram com música, comunhão e pregação. E é claro: a livraria com descontos, café e conversa, sempre um belo lugar para gastar tempo e arruinar as próximas faturas do cartão de crédito. Ao preparar a mala para uma conferência como essa, lembre-se de deixar espaço. Por certo voltarás com quilos e mais quilos de pedaços retangulares de árvore, tingidos com palavras de sabedoria. Foi muito bom ver conferencistas tão animados, pontuais, participativos e atentos. Até quem usava o celular durante a mensagem o fazia discretamente. Na sessão mais cheia, chegamos a mais de 600 participantes que, empolgados, sorviam a palavra de Deus.

Plenário no Hotel Praia Centro/Fábrica de Negócios – Fortaleza/CE

Fiquei hospedado ali mesmo no hotel da conferência. Chegar ao local do evento é sempre gostoso. Há uma eletricidade de excitação no ar. Para todo lado a identidade visual bem estabelecida, mostrando que você está entrando em novo ambiente. Conferencistas pegando seus kits, pessoas se inscrevendo para os workshops, primeiras explorações da livraria, amigos se reencontrando e amizades sendo forjadas. E, de rabo de nariz, dava pra farejar a direção do mar.

Acende-se a luz

Na primeira tarde, já com um bom número de participantes, tivemos nossa pré-conferência. Muitas vezes esses eventos prévios são apenas algo para encher o espaço e não tem muito conteúdo. Não foi o nosso caso. Tivemos ótimas mensagens dos pastores Renato Vargens e Hélder Cardin, homens que combinam vitalidade, erudição e piedade em medidas cavalares. E ainda por cima falam bem! O tema foi “A Igreja e os Dons Espirituais.” Todos os que lá estiveram sentiram-se fortemente desafiados.

Renato Vargens

Hélder Cardin

Na quarta-feira de noite foi aberta oficialmente a conferência. Sob a regência da batuta do pastor Isaque Sicsú, fomos instruídos, animados e instados ao amor e às boas obras em Cristo. Isaque é um gigante gentil. Um homem que em Cristo me impressiona. Só Deus sabe o quanto ele fez por este evento. Pudemos durante todo o tempo desfrutar da música sob o comando de Fellipe Magalhães e sua banda.

Fellipe Magalhães e sua banda, tocando na Conferência Nacional Coalizão pelo Evangelho, em Fortaleza/CE.
Fellipe Magalhães (dir) e banda.

Isaque Sicsú

O tema para nosso primeiro evento foi “Unidade & Catolicidade.” Como assim? Ora, a Igreja de Cristo na Terra tem unidade na diversidade. Catolicidade diz respeito ao fato de que somos universalmente uma única grande igreja, a noiva de Cristo. Temos diferenças teológicas, litúrgicas e culturais. Somos, entretanto, um só corpo, unidos por uma só fé, em um só batismo, comendo a mesma comida santa e servindo ao mesmo Senhor, na expectativa do mesmo final triunfante. Sim, divergimos nos detalhes e eles não são sem valor; mas são detalhes. A ideia é muito simples: o que nos une é mais forte do que aquilo que nos separa, e os distintivos de nossas confissões de fé, conquanto importantes, não são o centro do que cremos.

Mesa redonda com (esq. para dir.): Valter Reggiani, Augustus Nicodemus, Isaque Sicsú, Wilson Porte Jr e Emílio Garofalo Neto.

Foi o tema perfeito para expressar a ideia do que é a própria Coalizão: somos um, e somos muitos. Diferimos em opiniões teológicas e cada um de nós tem a certeza de que está correto. Mas isso é secundário; afinal, todos nós estamos convencidos por Deus acerca do fato de que temos um só Senhor e Salvador. O tema buscava explorar esse assunto. A forma escolhida para tratar do conteúdo foi por meio da exposição sequencial da carta de Paulo aos Efésios.

Gosto muito da ideia de pregação expositiva em série. É como faço na igreja em que pastoreio. Fiquei muito alegre em saber que na conferência seria assim, com cada expositor lidando com uma porção do texto bíblico em sequência. Dessa maneira, além de mostrarmos a diversidade de pregadores de tradições teológicas diferentes, mostramos que, sem dificuldade, seguimos avançando na unidade da mensagem, com cada pregador construindo sobre o que viera antes. A própria forma das preleções serviu de ilustração ao tema. A porção que me coube foi Efésios 1.15–23, e me alegrei muito em poder falar do Senhor Jesus exaltado e seu amor por nós.

O mar, o céu e o sal

Conferência é algo intenso. Mal dá tempo para qualquer coisa que não seja ir de uma sala para a outra, com rápidos pit-stops no banheiro ou na livraria. Fortaleza estava lá fora, e o anseio por uma fugidinha estava dentro do peito. Pois bem, surgiu a oportunidade. Uma mísera horinha entre o último seminário da tarde e o jantar. Fomos, eu mais Leo Sahium, dar um mergulho no mar do Ceará. Praia de Iracema. Sim, eu sei que não é o melhor lugar para banho de mar em Fortaleza. Mas era o que dava para arrumar que fosse a cinco minutos de distância a pé. Para um homem que mora a mil quilômetros do litoral, qualquer vislumbre do oceano é precioso. A água estava quente, quente mesmo. O Sol estava baixo e de dentro das ondas boiando estava um deleite vê-lo sumir e colorir a hora dourada. Andamos, conversamos. Rimos muito. Vimos o povo jogando bola na areia. Voltamos renovados, a tempo para sermos alimentados no restaurante e no plenário.

Fui muito abençoado com tudo o que ouvi e aprendi de meus irmãos e colegas. Foi um privilégio ouvir D.A. Carson com suas três pregações, repletas de uma tranquila erudição e amor pela Palavra que se mostram em cada frase. Ele era o principal pregador, mas além dele fui saborosamente alimentado por toda a equipe. Augustus Nicodemus, com seu humor fino e sua clareza expositiva incomparável. Mauro Meister, com sua paixão exultante por Cristo, que me envergonha e me anima ao mesmo tempo.

D. A. Carson – Presidente The Gospel Coalition

Augustus Nicodemus

Mauro Meister

Franklin Ferreira e seu domínio do assunto e facilidade em nos fazer sentir que estamos aprendendo a dominar o assunto também. Leonardo Sahium, com sua facilidade em conectar a palavra de Deus com nossa cultura, mostrando que continuamos vivendo os mesmos dilemas dos antigos e, felizmente, a solução é a mesma. Wilson Porte, com sua empolgação pela palavra e por entender cada vírgula do texto sagrado. Cada um deles encheu meu coração de escritura.

Franklin Ferreira – Presidente do Conselho da Coalizão pelo Evangelho – TGC Brasil

Leonardo Sahium

Wilson Porte Jr.

Emílio Garofalo Neto

Além das 10 plenárias, tivemos 16 seminários tratando dos mais variados temas, lidando com John Bunyan, Jonathan Edwards, crescimento de igreja, direito religioso, leitura de ficção, depressão, a internet e a propagação do Evangelho, pós-modernidade e muito mais. Ocasiões ótimas para interação e instrução em grupos menores, com diversos dos membros do conselho da Coalizão, como o Valter Reggiani e o Tiago Santos, partilhando de sua experiência e conhecimento. Ainda tivemos duas mesas redondas debatendo temas ligados ao tema geral. Ferro afiando ferro.

Tiago Santos

Valter Reggiani

Mesa redonda com (esq. para dir.): Augustus Nicodemus, Leonardo Sahium, Mauro Meister, Renato Vargens e Cleyton Gadelha
Sal: da cozinha à mesa

É claro, nem só de preletores vive uma conferência. A gente chega, prega, espera os outros pregarem, e vai embora. Tem um pessoal, entretanto, que desde muito antes do evento já vem trabalhando e que fica por último para apagar as luzes. São os membros da equipe que vem planejando tudo há meses, gente como o Samuel e o Felipe, que debaixo da liderança do Isaque estavam há dias já em Fortaleza e nem puderam desfrutar da cidade, só trabalhando. Ainda havia os voluntários, em seu valor incalculável, seu sorriso fácil e seu trabalho árduo. Vários membros da Igreja Batista de Parquelândia, pastoreada pelo Cleyton Gadelha, deram seu sangue, seu suor e, desconfio, algumas (ou muitas) lágrimas para fazer o evento acontecer. Além deles, havia pastores e membros de outras igrejas locais, servindo fielmente e trabalhando junto com a equipe que foi de São Paulo. Essa turma fez história. Eles não viram que eu vi, mas eu vi. Eu estava sempre olhando. Uma das coisas mais gostosas do serviço cristão é a camaradagem. Há algo especial no relacionamento que se forja entre a equipe, subproduto do pouco sono, do muito esforço e do trabalho de coração feliz diante do Senhor. Os olhares trocados em alta velocidade de comunicação quando algo dava errado. Os incentivos serenos e essenciais feitos uns aos outros. As brincadeiras e os apelidos, as memórias sendo esculpidas e um renovar de vigor alimentado pelo simples prazer de servir. Eles não viram que eu via, mas eu via. Deu uma baita vontade de arrumar uma camiseta preta como a deles e ficar ali só nos bastidores.

Grupo de voluntários que serviram durante a Conferência Nacional da Coalizão pelo Evangelho 2019 - Fortaleza/CE. Sentados, à frente, membros do conselho da Coalizão.
Voluntários que serviram durante a Conferência Nacional da Coalizão pelo Evangelho 2019 – Fortaleza/CE. À frente, membros do conselho da Coalizão.

Depois da pregação final, muitos abraços, fotos, conversas, despedidas. Corações cheios e a certeza de termos vivido dias especiais pela graça de Deus demonstrada, abençoando os esforços de seus servos. Dias especiais que, se Deus permitir, se repetirão amplificados daqui a dois anos.

Quando eu e o Leo fomos à praia, depois do banho de mar, andamos pelo espigão de João Cordeiro mar adentro, vendo o final do dia. Fomos até a pontinha, a mais de seiscentos metros da praia. Gente com cachorro, criança no ombro, namorados. Lá no final comentamos duas coisas. A primeira é que parecia um lugar bom para pescar. Foi Leo quem falou isso. Ele entende mais disso do que eu, então aceito. E a segunda foi ao vermos duas jovens: uma delas na cadeira de rodas, levada pela outra, até a ponta do espigão. Olhavam o mar e conversavam. Sorrisos fáceis e cheios de vida. O Sol descia. A noite vinha. As cores brincavam de se superarem em beleza colaborativa. O ar salgado e o cheiro de água tomavam os sentidos. Que gostoso foi ver aquilo. Fortaleza foi assim. A conferência foi desse jeitinho. Estar no evento era como estar na água quentinha do mar cearense, com amigos novos e antigos, vendo o Sol da justiça por meio da exposição do livro dele. Um ambiente que nos move e nos renova. Além disso, foram vários os momentos em que, animado pela pregação da Palavra, por uma canção, ou pelo amável serviço de um voluntário, me vi como uma pessoa com sérias limitações sendo levada por amigos até onde se pode humanamente ir, a fim de ver de perto algo da grandeza do que se desdobra diante dos olhos, esperando o dia se encerrar ansiando pelo novo raiar da manhã definitiva. Um encontro de gente que é sal e luz em um lugar tão salgado e ensolarado. Uns ajudando os outros, por meio de seus dons, a vencer as limitações do que somos e a ter vislumbres do que é imensurável. Uma coalizão de palavras e cores. Olha, isso mais do que basta para aquietar o coração.

 

CARREGAR MAIS
Loading