Sete Razões Pelas Quais As Reuniões de Oração Fracassam

A nāo muito tempo, a maioria das igrejas incluía uma reunião de oração como parte de suas atividades semanais. Podia ser domingo à noite ou quarta-feira à noite ou cedo de manhã antes do sol surgir.

Embora não haja nada na Bíblia que diga que uma igreja deve ter uma reunião de oração semanal agendada, há uma abundância de textos na Bíblia que informam que os cristãos devem regularmente orar juntos. Portanto, seja havendo uma “reunião de oração” agendada a cada semana ou que isto ocorra todos os dias em pequenos grupos, reuniões da equipe de liderança, reuniões de idosos e outros encontros corporativos, sempre deverá haver muitas oportunidades recorrentes para que os membros da igreja orem uns com os outros.

E, no entanto, a maioria de nós tem dificuldade em orar. Muitas vezes, a reunião de oração corporativa nos parece ainda mais difícil do que o nosso tempo de devoção particular.

Então, por que as reuniões de oração fracassam? Deixe-me sugerir sete razões.

  1. Quase nāo há tempo para orar. Já estive em “reuniões de oração” de uma hora, onde se cantam quatro hinos, há um devocional de 25 minutos, as pessoas compartilham longamente os pedidos de oração e oram por apenas 10 minutos. Tenho certeza de que todos nós já observamos pequenos grupos que dizem serem dedicados à oração e que fazem depressa uma oração de encerramento em 30 segundos, ao final de uma noite atarefada. Mesmo quando queremos orar, podemos passar um tempo demasiado nos preparando para orar, dando instruções para a oração e preparando o caminho para a oração, quando muitas dessas coisas poderiam ser feitas com liderança hábil durante o próprio tempo de oração.
  2. Orações individuais são demasiadamente longas. Se estivermos num grupo com cinco outros maravilhosos guerreiros de oração, poderemos nos safar com seguidas longas orações. Mas a maioria dos cristãos tem dificuldade com orações longas; têm dificuldade em fazer orações longas bem como para se manterem alertas durante orações longas. Reuniões de oração ficam sem rumo quando todos sentem que necessitam preparar um monólogo de três minutos. É por isso que sempre digo às pessoas nos grupos de oração: “Não tenha medo de orar uma ou duas frases”. Frequentemente, menos é mais.
  3. Poucas pessoas participam. Quando algumas pessoas fazem longas orações, menos pessoas oram. Isto não é apenas uma questão de matemática simples; é parte da psique humana. “Se para participar da reunião de oração necessito orar tanto ou tão bem quanto a Sra. McGillicudy”, argumentamos “, então é melhor eu manter minha boca fechada”. Dê andamento às coisas. Mantenha as orações breves e eficazes. As pessoas ficarão acordadas e mais pessoas vão orar.
  4. Ninguém se preparou para liderar. Na minha experiência, este é o maior impedimento prático para a oração corporativa. É verdade que é possível ter uma reunião de oração dinâmica sem qualquer tipo de planejamento. A história está cheia de exemplos de cristãos que se juntaram no impulso do momento e sacudiram as portas do inferno com suas orações. Mas na maioria das igrejas, na maioria das vezes e na maioria dos lugares, necessitamos de ajuda para orar bem. Isto significa que alguém refletiu sobre o que vamos estar orando. Alguém está pronto a direcionar o grupo a diferentes tópicos. Alguém está pronto para introduzir um tópico novo ou direcionar os participantes a um novo texto. É incrível como vinte minutos de oração sem estrutura podem parecer uma eternidade, enquanto uma hora de oração cuidadosamente planejada pode passar rapidamente.
  5. Não há variedade na oração. Muitas reuniões de oração gastam metade do tempo nos pedidos de oração e, em seguida, metade do tempo na oração desestruturada por esses pedidos. Não há nada de errado com este estilo. Já utilizei isto muitas vezes. Mas a oração se tornará monótona e deprimente se isto é tudo o que fazemos. Devemos usar as Escrituras, músicas, leituras corporativas, livros de oração, antigas liturgias e outras formas em nossas orações. Misture. Aprenda com os santos que nos precederam.
  6. Não nos limitamos ao tempo atribuído. Novamente, tenho certeza de que alguns cristãos amam orar por horas e horas sem estrutura ou sem um fim à vista. E, no entanto, se formos honestos, não é onde a maioria de nós se encaixa, especialmente na cultura ocidental. Quando introduzi uma reunião de oração às 7 horas da manhã alguns anos atrás, estabeleci regras básicas claras. Começaríamos exatamente às 7. Ninguém deveria trazer comida ou café. O líder não demoraria mais de cinco minutos para abrir nosso tempo de oração. Então, oraríamos e terminaríamos às 7:30 em ponto. Isto funciona em todas as culturas? Talvez não. Mas isto ajudou nosso pessoal a saber o que esperar e saber que poderiam chegar em casa para cuidar das crianças ou chegar ao trabalho sem atrazo.
  7. Esquecemos que estamos orando. Acontece comigo à toda hora. Estou ouvindo orações, ou orando, e de repente me dou conta: “Estamos falando com o Deus do universo”. Se não tivermos cuidado, a oração corporativa se torna um exercício para apresentar breves discursos religiosos. Nos esquecemos que estamos conversando com alguém, e não apenas com alguém, mas com o Deus Altíssimo, nosso santo e amoroso Pai celestial. Deus ama quando oramos e Ele escuta quando oramos. O Espírito nos auxilia. O Filho intercede por nós. Não esqueça o que está fazendo quando estiver orando.

Traduzido por Raul Flores

 

Compartilhar
CARREGAR MAIS
Loading