×
Procurar

Como Ter Aquela Conversa Difícil

Recentemente, tive que ter algumas conversas difíceis. Em uma delas, confrontei um parente sobre seu pecado; em outra, comuniquei a uma pessoa da minha equipe que o nível do seu trabalho estava abaixo do esperado. Ambas as interações foram dolorosas e constrangedoras. Eu havia orado, mas meus pensamentos ainda assim estavam embaralhados. Mesmo tendo tempo para me preparar para ambas as conversas, ainda assim me senti pego de surpresa. Como podemos dar e receber más notícias de uma forma que honre as pessoas com quem estamos interagindo?

Conversas difíceis com certeza podem ser dolorosas e constrangedoras para os envolvidos. Seja uma repreensão ou uma avaliação de desempenho ruim, por natureza, conversas difíceis envolvem compartilhar uma realidade condenadora com outra pessoa.

Mas sabem qual é a beleza disto? Jesus fala em meio a cada realidade condenadora com Sua graça, já que ele suportou total condenação por aqueles que confiam nele. Conversas difíceis podem ser conversas do evangelho. Portanto, mesmo que nosso estômago fique revirado, nosso coração pode ao mesmo tempo estar pulando de alegria com aquilo que Deus possa fazer.

Antes de entrarmos nos aspectos teológicos das conversas difíceis, é importante lembrar que se possível, a conversa deve ser frente-a-frente e em particular. Ao conversar sobre tópicos constrangedores, frustrantes ou dolorosos, é importante não só utilizar o tom de voz correto, mas também a linguagem corporal correta. Se for necessário ter uma conversa difícil com uma pessoa à distância, uma ligação por telefone ou por vídeo é uma opção. Nosso padrão deve ser que conversas vulneráveis necessitam ocorrer de forma vulnerável — geralmente, funcionam melhor olhando nos olhos.

Confie no Espírito Santo

Primeiro, confie que o Espírito de Deus guiará suas palavras. Jesus prometeu aos seus discípulos que eles seriam perseguidos, odiados, espancados e presos por causa de sua fé. E quando eles fossem interrogados a respeito de sua fé, ele diz para se lembrarem disto: “quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer,” (Mt 10.19).

Ser interrogado criminalmente torna uma conversa difícil, não é? E o que Jesus disse a eles? Confie no Senhor. Não fiquem ansiosos.

Mergulhe nas Escrituras

Com certeza é útil preparar-se para uma conversa difícil lendo o que a Palavra de Deus diz sobre o tópico em questão, mas é ainda melhor prepararmos o coração para nossas vidas diárias, mergulhando nas Escrituras à cada dia.

Ler a Palavra de Deus nos ajuda a conhecer Sua vontade e nos educa para a justiça (2Tm 3.16). Deus massageará nossos corações com Sua sabedoria, nos preparando melhor para todos os aspectos da vida, ao iluminar a supremacia de Cristo.

Martyn Lloyd-Jones ensinava pastores jovens a focarem em se prepararem a si próprios ainda mais do que preparavam seus sermões. Necessitamos nos preparar para a obra do ministério vivendo na Palavra de Deus, na oração e em comunidade cristã. Contemplando a glória de Jesus, somos transformados na própria imagem do Senhor (2Co 3.18). Quanto mais parecidos formos com Ele, melhores serão nossas conversas difíceis.

Seguindo a Verdade em Amor

Antes da termos uma conversa difícil, devemos nos perguntar se ela é necessária. Será esta conversa uma tentativa de falar a verdade em amor para que possamos promover a unidade em Cristo (Ef 4.15) ou simplesmente algo que nos incomoda? Estamos mais preocupados com o bem-estar da outra pessoa ou nossa motivação é de querer conversar sobre nossas emoções?

Nosso autoconhecimento geralmente é baixo e embora possamos estar dizendo a nós mesmos que queremos conversar com alguém porque amamos aquela pessoa, é possível que amemos mais o drama de desafiar alguém ou o que desejamos nos defender de alguma forma. Portanto, primeiro necessitamos nos examinar a nós mesmos, e dar tempo para que o Senhor nos guie. Uma conversa difícil jamais deve ser uma conversa precipitada.

Palavras difíceis podem amolecer corações. Se faladas de forma áspera porém, podem ferir corações. Quando Jesus expôs o pecado da mulher samaritana, ele derramou a água viva da sua graça. Esta é a Sua maneira. Condenação sem redenção é ódio, mas condenação com a redenção de Cristo é eternamente boa.

O sermão de Pedro no dia de Pentecostes é outro bom exemplo. Ele diz aos seus ouvintes que eles são responsáveis pela morte de Jesus, mas entāo oferece libertação: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados” (At 2.38). Pedro os condena com a verdade, depois liberta-os com a graça.

Ofereça Esperança

Já que não somos nem Pedro nem Jesus, como fazer para que uma conversa difícil termine em redenção?

Reconhecer fatores externos que levaram à necessidade de se ter essa conversa pode ajudar. Talvez tenhamos feito ou deixado de fazer algo que contribuiu para o conflito ou problema. Se assim for, necessitamos assumir responsabilidade pela nossa parte. (E não com um “Desculpe-me se…” ou “Desculpe-me, mas…”, humildemente reconhecer a trave em nosso olho antes de apontar o argueiro no olho do outro.)

Cada situação danificada é uma oportunidade de restauração em Cristo. Se alguém pecou contra nós, isto não deve ser surpresa. O pecado que eles cometeram contra nós é o mesmo pecado que está em nosso coração. Necessitamos todos da graça de Cristo. Se estivermos tendo esta conversa com um crente, podemos encontrar unidade em nossa carência perante Deus e no encorajamento de que Jesus ama derrubar as paredes de separação de inimizade (Ef 2.14).

Portanto, ao termos conversas difíceis, não devemos evitar verdades duras. No entanto, não podemos passar longe da esperança eterna ou das implicações práticas da cruz.

Título original em inglês: How to Have That Hard Conversation

URL do artigo original: https://www.thegospelcoalition.org/article/hard-conversation/

Traduzido por Mariana Ciocca Alves Passos

Revisado por Carlos Dourado

CARREGAR MAIS
Loading