×
Procurar

Esta pandemia tem exposto pastores a novos e inesperados pontos de pressão em seus ministérios. Frequentemente, tenho me sentido sozinho e exausto. Não há uma saída fácil do poço do desespero, mas seguem alguns conselhos que, eu espero, serão de grande ajuda.

1. Discernir sua alma

Fidelidade nem sempre significa continuar seguindo frente, quando estamos cercados por neblina. De vez em quando, é preciso parar e se reorientar. Que tem te deixado ansioso? Onde tem surgido pressão? Quem você tem medo de desapontar? Onde você tem buscado consolo? Dê voz aos sentimentos que estão em ebulição dentro de você.

Ore para que Deus traga à superfície, aquilo que está acontecendo nas profundezas de sua alma. Na companhia de irmãos de confiança, processe as informações sabendo que “os propósitos do coração humano são como águas profundas, mas quem é inteligente sabe como trazê-los à tona” (Pv 20.5). Peça a Deus que use seus amigos para expor medos, ansiedades, expectativas ou pecados que possam estar te esmagando. Leve-os a Jesus e lance suas ansiedades sobre ele, sabendo que ele tem cuidado de você (1Pe 5.7)

2. Admita suas limitações

“Quem é capaz de fazer estas coisas?” deve ser o lema de todo ministro (2Co 2.16). Ainda assim, eu sempre sou tentado a controlar as circunstâncias da maneira que só o Senhor é capaz. Eu preciso, constantemente, reconhecer minha insuficiência.1

Não posso ser um pastor onipresente, que tenta estar em todos os lugares para todas as pessoas. Ao invés disso, Deus me chamou para ser fiel naquilo que está diante de mim. Não posso fazer uma ligação para todos no mesmo dia. Não posso ler todos os artigos, ver todas as notícias ou aceitar todos os convites que recebo. Eu sou limitado, mas Deus não, então, está tudo bem.

Também não posso ser um pastor onipotente, que tenta consertar tudo para todo mundo. Antes, preciso descansar, sabendo que há situações que não posso controlar nem alterar. Não posso parar a pandemia ou visitar todo membro solitário. Não posso ser perfeito como marido, pai, pastor ou amigo. Ainda assim, a força do Senhor opera na minha fraqueza, então, está tudo bem (2Co 12.9).

Não posso ser um pastor onisciente, que tem todas as respostas. Deus não me chamou para ser um epidemiologista, politicamente esclarecido, que navega, criativamente, entre as oportunidades sem precedentes geradas pela tecnologia durante uma epidemia global. Meu conhecimento tem limites, mas Deus tem entendimento além de qualquer medida, então, está tudo bem (Sl 147.5).

3. Mude seu ritmo

Um amigo me desafiou a enxergar este período do ministério, da mesma maneira que um triatleta enxerga uma corrida (cf. 2Tm 2.5). Conforme o atleta encontra diferentes terrenos, ele ajusta sua cadência. Da mesma maneira, eu preciso ajustar o andamento ministerial, de acordo com o novo terreno que a pandemia proporciona.

Percebi que ficar em casa me fez ficar “ligado”, de uma maneira que não estava acostumado. Meus padrões foram apagados e, de repente, eu era marido, pai e pastor ao mesmo tempo, no mesmo lugar.

Como a vida e o ministério não eram os mesmos de meses atrás, precisei fazer algumas mudanças. Precisei me humilhar sob a poderosa mão de Deus e deixar que ele mostrasse minhas limitações (1Pe 5.5-6). Interrupções fariam parte do novo modelo e elas não pegaram Deus de surpresa. Precisei me humilhar, fazer qualquer ajuste que fosse necessário e reavaliar minhas expectativas sobre como seria trabalhar durante estes dias.

4. Verifique sua disciplina

A pandemia pavimentou a estrada para a preguiça na minha vida. Ficou fácil criar desculpas para não fazer nada. A trajetória foi apavorante. Graças a Deus fui lembrado das palavras de Paulo a Timóteo: Exercite-se, pessoalmente, na piedade. Pois o exercício físico tem algum valor, mas a piedade tem valor para tudo, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de vir.” (1Tm 4.7-8). Este estímulo me ajudou a reavaliar como eu estava me disciplinando nas áreas “menos importantes”, porém com impacto direto em minha vida espiritual. Algumas delas são:

  • Comida: cuidado para não se tornar indisciplinado em relação à comida. Comer por estresse ou tédio, comer exageradamente ou mesmo deixar de manter uma dieta balanceada afetam seu humor, foco e energia. Um copo extra de refrigerante ou uma taça a mais de vinho são facilmente justificáveis em tempos como estes. Discipline sua relação com a comida em favor da piedade.
  • Exercícios: caminhadas curtas ao longo do dia podem ser revigorantes e ajudam a espairecer. Desenvolver uma rotina de exercícios com prestação de contas é uma ajuda tremenda para muitos.
  • Entretenimento: acessos fáceis para uma fuga da realidade são sempre tentadores. Dedicar tempo indeterminado à TV ou as mídias sociais têm efeitos extremamente perigosos na sua caminhada com Deus. Temos liberdade de nos entreter, mas tome cuidado para não ser dominado (1Co 6.12).
  • Envolvimento: Se você tem família, avalie se estar ligado o tempo todo, não esteja fazendo com que eles experimentem sua versão mais raivosa. Dedique tempo para eles. Tire um dia de folga. Desligue o computador. Deixe o celular de lado. Vá para o quintal. Jogue com eles. Converse com eles. Ore com eles. Envolva-se com sua esposa, filhos ou colegas.

Você só será útil se estiver bem. É uma verdade espiritual, mas não está desconectada do que você faz fisicamente.

5. Não se compare a outros pastores

Inicialmente, minhas inseguranças foram inflamadas quando vi outros pastores proclamando seus planos criativos para pandemia. Me tornei ansioso, invejoso e desencorajado. Senti que se não tivesse uma ideia brilhante para conduzir multidões a Jesus, estaria fracassando. Mas o Senhor usou um amigo para me lembrar o que Paulo disse a Timóteo: “cumpra plenamente o seu ministério” não se preocupe com o ministério dos outros. (2Tm 4.5).

Se você viver e morrer pelas expectativas dos outros, vai se tornar exausto, tentado a conceder e se esquecera de Jesus. Compare-se somente a Cristo. Procure somente a aprovação de Cristo. Desligue as mídias sociais se elas despertam inveja. Dedique tempo ao Senhor e sua palavra e sinta-se livre para não seguir o que todos estão fazendo. Cumpra o seu ministério para prazer do Senhor.

6. Vá a Jesus

“Venham a mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e eu os aliviarei” (Mt 11.28).

Jesus nos assegura que, se estivermos sobrecarregados, ele cuidará de nós. Conserve-se na Palavra. Creia que a Escritura está trabalhando, mesmo que pareça que não. Reserve tempo intencional e ininterrupto para oração. Atravesse a neblina em fé. Se vamos ministrar a outros, temos de ser ministrados por Cristo através de sua palavra. Confesse os pecados cometidos. Encontre encorajamento e prestação de contas.

Não perca a esperança. Jesus promete cuidar de você e dar descanso. Ouça novamente esta promessa da Escritura: “mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam” (Is 40.31).

Dá-nos força Senhor, precisamos de ti.

——

Traduzido por Rubner Durais
Fonte: 9marks.org

 

[1] Estas lições foram tiradas dos capítulos 5-7, de um dos meus livros preferidos sobre ministério: O pastor imperfeito, de Zach Eswine (Editora Fiel).

Boletins Informativos

Get TGC delivered to your inbox!

CARREGAR MAIS
Loading