×
Procurar

Pedro nos diz que Paulo escreveu algumas coisas que são difíceis de entender (2 Pe. 3.16).

Jesus também disse algumas coisas difíceis.

Duas vezes o Senhor disse a seus discípulos que, se tivessem fé como um grāo de mostarda, poderiam fazer coisas de deixar as pessoas boquiabertas. Em Mateus, a fé como grāo de mostarda está ligada à expulsão de um demônio, e Jesus diz que aqueles que têm tal fé podem mover montanhas (Mt. 17.20). Em Lucas, aqueles com fé de grāo de mostarda poderão perdoar aqueles que pecam contra eles, uma vez que tal fé pode desenraizar amoreiras e lançá-las no mar (Lucas 17.6). Múltiplos tipos de perguntas nos vêm à mente.

O que é uma fé como um grāo de mostarda?

Por que nossa fé não move montanhas?

Deixamos de ver grandes coisas de Deus por nossa falta de fé?

Uma Fé Que Encoraja

Nas histórias relatadas em ambos Mateus e Lucas, os discípulos ansiavam por mais fé. Então poderiam fazer grandes coisas para Deus. Então eles poderiam expulsar demônios e perdoar um irmão ou uma irmã especialmente irritantes. Jesus diz a eles que não necessitam de grande fé; necessitam apenas de uma pequena fé. Ele claramente fala de uma pequena quantidade de fé, uma vez que o grāo de mostarda era a menor semente conhecida em sua época. Jesus também informa aos discípulos que o reino dos céus é tão pequeno quanto um grāo de mostarda (Mt. 13.31).

Somos propensos a pensar que se apenas tivéssemos mais fé, então Deus poderia fazer coisas incríveis através de nós. Mas Jesus nos diz algo bastante surpreendente. A questão não é se estamos cheios de fé, mas se temos alguma fé. Se tivermos a menor quantidade de fé, Deus operará por nós. Jesus parou os discípulos abruptamente e perguntou a eles: vocês creem em mim? Vocês sequer confiam em Deus?

Por que a resposta de Jesus é encorajadora? Porque não ficamos presos num atoleiro, nos questionando se temos fé suficiente. Quando enfrentamos uma determinada situação, clamamos a Deus que nos dê fé, não importa quão pequena. Uma pequena quantidade de fé é suficiente, porque o foco não está em nossa fé, mas em seu objeto.

A questão não é se estamos cheios de fé, mas se temos alguma fé. . . . Uma pequena quantidade de fé é suficiente, porque o foco não está em nossa fé, mas em seu objeto.

Por que é verdade que a fé como grāo de mostarda pode mover montanhas e desenraizar amoreiras? Jesus nos diz claramente. Não é por causa da quantidade de nossa fé, mas o objeto de nossa fé. Se nossa fé for no Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, então tem um grande efeito. Nossa fé faz a diferença, não porque seja tāo grande, mas porque Deus é muito grande, porque ele é o soberano que governa todas as coisas. Nossa fé não prospera quando refletimos sobre a quantidade de fé que temos; ela floresce quando contemplamos o nosso Deus; quando vemos a Jesus como Aquele que foi crucificado e ressuscitou por nós.

Uma Fé Firmada sobre Promessas

Ainda assim, temos dúvidas sobre este versículo. Nossa fé como grāo de mostarda move montanhas e desenraiza amoreiras? Vemos isso acontecer hoje? Estarāo corretos os pregadores da prosperidade em dizerem que se tivéssemos mais fé, não ficaríamos doentes e gozaríamos das riquezas deste mundo?

Primeiro, é fundamental notar que Jesus está usando uma ilustração. Ele não está literalmente falando sobre mover montanhas e desenraizar árvores. Não há exemplo nas Escrituras de montanhas desaparecerem porque alguém tinha fé. Jesus está ensinando que coisas de

slumbrantes acontecem se tivermos fé. A questão é, que tipo de coisas deslumbrantes devemos esperar?

Aqui necessitamos levar em consideração a Bíblia inteira. O velho ditado está correto: um versículo sem um contexto é um

pretexto. E o contexto é a Bíblia toda, o que inclui lê-la em sua linha de tempo pactual e redentivo-históric

a. Não podemos simplesmente arrancar qualquer versículo na Bíblia e aplicar à nossa vida, sem considerar como este se relaciona com a totalidade das Escrituras.

A fé não é abstrata; colocamos nossa fé nas promessas de Deus, na verdade que ele revelou. As Escrituras jamais prometem aos crentes que serão saudáveis ​​ou ricos. O espinho na carne de Paulo (2 Co. 12.7-10) era provavelmente uma doença física, e em

bora ele tenha orado três vezes por liberação, Deus disse “não”. Da mesma forma, não era da vontade de Deus curar o parceiro de ministério de Paulo, Trófimo (2 Tim. 4.20), e não foi por Paulo carecer de fé como grāo de mostarda! Além disso, Timóteo não foi curado milagrosamente e instantaneamente de doenças estomacais, mas foi-lhe dito para tomar vinho para resolver sua indigestão (1 Tim. 5.23). Certamente, Paulo cria que Deus poderia curar Timóteo, mas Deus havia determinado que ele não seria curado. Além disso, Romanos 8.35-39 ensina claramente que alguns crentes são perseguidos e alguns sofrem com a falta de comida e roupas. Deus jamais nos prometeu uma vida confortável.

A fé não é abstrata; colocamos nossa fé nas promessas de Deus, na verdade que ele revelou. As Escrituras jamais prometem aos crentes que serão saudáveis ​​ou ricos.

A fé que move montanhas, portanto, deve basear-se nas promessas de Deus, naquilo que é revelado em sua Palavra, e não sobre o que desejamos que aconteça, ou até creiamos fervorosamente que irá acontecer.

Uma fé equivocada pode levar ao desastre. Na década de 1520, Thomas Muntzer cria que era levado pelo Espírito Santo para inaugurar uma era de ouro e guerreou ao lado dos camponeses para derrubar o poder político. Mas Muntzer havia sido inspirado por fantasias e morreu na revolta que liderou. Ele confiava em “revelações espirituais” ao invés das palavras escritas das Escrituras.

Devemos primeiro perguntar, então, se a fé de alguém é verdadeiramente baseada na Palavra de Deus. Caso contrário, esta se baseia nas vãs imaginações do homem.

Uma Fé que Santifica

A questão permanece: o que é a fé que move montanhas? Observe o que Jesus disse em Lucas: aqueles que têm fé como um grāo de mostarda fazem grandes coisas. Eles têm fé para perdoar irmãos e irmãs que pecam contra eles repetidamente.

Portanto, a ilustração que Jesus fornece é extremamente útil. Sabemos que é a vontade de Deus que perdoemos aqueles que pecam contra nós. No entanto, quando enfrentamos a realidade de perdoá-los, muitas vezes temos dificuldades, por causa da severidade da dor.

A fé como grāo de mostarda, então, é a fé que mata as obras da carne (Gálatas 5.19-21) e produz o fruto do Espírito (Gl. 5.22-23). O amor, a alegria, a paz e a longanimidade são montanhas que só podem ser escaladas pela fé; a fé, afinal, expressa-se em amor (Gl. 5.6). A fé como grāo de mostarda crê que o evangelho irá aos confins da terra e triunfará sobre as portas do inferno. E a mais clara evidência da fé de grāo de mostarda é se amamos a Deus e ao nosso próximo.

Nossos maiores inimigos não estão fora de nós, mas dentro. Nosso maior inimigo é o ódio e a rebelião que nos dominam, e a fé como grāo de mostarda, por ser colocada em Jesus Cristo, nos dá a vitória sobre nosso pecado.

No entanto, somos libertados do pecado que escraviza, quando confiamos em Cristo e não em nossa própria força e obras. A fé como grāo de mostarda é enormemente poderosa, não por conta de nossa fé, mas porque nos une ao Deus que ressuscitou a Jesus Cristo dentre os mortos.

Traduzido por Rafael Salazar

 

 

CARREGAR MAIS
Loading