×
Procurar

Em seu livro “Work: The Meaning of Your Life” [Trabalho: O Significado de Sua Vida], Lester de Koster observa: “O lugar de trabalho é o local principal onde amamos nossos próximos como a nós mesmos”. De Koster se refere ao trabalho remunerado, mas se adicionarmos o trabalho não remunerado tal como educar os filhos ou o voluntariado, a declaração é ainda mais verdadeira.

O trabalho também é um principal lugar de serviço ao Senhor, pois servimos as pessoas e, espera-se, apresentamos os imperativos de Cristo. No trabalho, nós cumprimos nosso chamado de sermos sacerdócio real (Ex 19.6; 1 Pe 2.9; Ap 1.6). Como realeza, governamos a criação de Deus para Ele e sob Sua autoridade. Como sacerdotes, “somos constituídos nas coisas concernentes a Deus a favor dos homens” (Hb 5.1).

Crentes geralmente se perguntam como podem servir a Deus e ao próximo no trabalho, e muitas vezes duvidam do valor de seu trabalho. Os pastores podem ajudar, e a ilustração da pregação estratégica é uma das melhores armas em nosso arsenal. Uma boa ilustração é como uma parábola, apresentando um caso particular e universal, específico e comum.

Trabalhar Para os Outros, Não Para Mim Mesmo

Considere minha filha, Abby, que conseguiu um emprego com uma grande corporação assim que se formou. Ela passava o dia todo presa em um cubículo sem janelas, analisando números para definir os preços de uma linha de roupas femininas que lhe parecia brega. Seu trabalho lhe parecia desagradável e sem sentido.

Então, um dia, ela visitou uma das lojas de sua empresa e ouviu duas mulheres conversando sobre as roupas que ela menosprezava. “Eu poderia usar este para nossa festa neste fim de semana”, dizia uma. “Eu compraria três destas se tivesse dinheiro”, a outra respondeu. “Dá para ver que sāo bem feitas”.

Foi uma epifania. “Caiu a ficha”, disse Abby. “Estes são suéters de qualidade, a um preço justo. Não é meu trabalho fazer com que as mulheres comprem aquilo que eu gosto. Quem sou eu para julgar quais estilos devem agradá-las? Percebi que meu trabalho tornava a vida um pouco melhor para estas mulheres, se eu as ajudasse a comprar suéters de qualidade que gostassem “. Abby percebeu que estava amando a essas “próximas” através de seu trabalho.

Abby é um discípula de Jesus ponderada e dedicada. Se ela luta para conectar sua fé ao seu trabalho, qualquer um pode passar pelo mesmo.

Pastoralmente, descobri que oferecer ilustrações concretas sobre a fé no local de trabalho é uma das melhores maneiras de ajudar as pessoas. É essencial que os pastores abordem toda a gama de empregos que as pessoas têm, e não apenas as carreiras padrões, como enfermagem e ensino.

Servindo a Deus no Trabalho, Não Apenas Após o Trabalho

Considere a Lisa e o Ryan. A Lisa é caixa. Ela gosta de seu trabalho, apesar de sua natureza repetitiva, mas se pergunta se nāo deve procurar algo maior. Ela também se pergunta se uma máquina irá substituí-la um dia e se caso aconteça, como ela ganharia a vida. O Ryan é motorista de caminhão. Umas vezes entrega alimentos, outras entrega banheiros portáteis. Ele sabe que seu trabalho torna projetos de construção, desfiles e concertos possíveis, mas este lhe parece insignificante.

Ambos têm empregos honestos, mas comentam que seu pastor não os ajuda a viver como reis e sacerdotes de Deus. O pastor prega sobre o trabalho, mas sempre menciona médicos, engenheiros, e fazendeiros, e não pessoas como eles. Um domingo recente, eles assistiram a um vídeo sobre a mordomia, instigando-os a servir o Senhor no berçário da igreja, através de visitas hospitalares ou tendo um estudo bíblico em casa.

O vídeo os deixou um pouco incomodados. Ambos vivem em apartamentos minúsculos, nāo têm filhos e nāo têm experiência em hospitais. Acima de tudo, eles querem colocar sua fé em prática em seus trabalhos, não em atividades voluntárias após o trabalho. Sabem que devem trabalhar fielmente e estarem prontos para compartilhar sua fé, mas crêem que deve haver algo mais. A Lisa deveria se ver como a pessoa que representa sua mercearia. Necessita ver a cada cliente como um ser humano, talvez solitário ou esgotado. O Ryan necessita perceber que o motorista que transporta mantimentos, é um elo tão essencial na cadeia alimentar quanto o fazendeiro que os produziu ou a mãe que os prepara o jantar. Suas histórias efetivamente se aplicam a pessoas com empregos aproximadamente similares.

Desafios e Dilemas Morais no Trabalho

O trabalho constantemente cria desafios e dilemas morais. Os pastores devem delinear princípios de integridade no trabalho, mas os princípios ganham vida quando aplicados à situações da vida real. O Kyle, por exemplo, é um jovem planejador financeiro que gosta de ajudar as pessoas a tomarem decisões. Ele tem um novo cliente, um casal sem filhos com patrimônio líquido substancial. Em sua segunda reuniāo com eles, descobriu que eles queriam doar a maior parte de seus bens para a Planned Parenthood, um dos principais provedores de serviços de aborto nos EUA.

Isso atordoou Kyle, que é um cristão que afirma a vida. Ele se perguntou: “Como posso, em boa consciência, aumentar a riqueza de um cliente que planeja doá-la a uma causa que considero imoral?” Pelo regulamento de seu trabalho, entretanto, ele nāo pode dizer : “Não posso ajudá-lo com isto”. Deveria passar o cliente a outrem? Isto nāo melhoraria nada. Após consultar dois pastores, o Kyle decidiu perguntar aos seus clientes por que eles queriam doar para a Planned Parenthood. Pela identificaçāo dos valores pessoais de seus clientes, ele pode (sem violar as regras de seu trabalho), encontrar outras causas que se encaixam nestes valores, sem promover o aborto: tais como educação, direitos das mulheres e tráfico sexual.

Uma ilustração como esta, reafirma pontos que as pessoas sentem mais visceralmente do que um conjunto de princípios. A ilustração mostra que: (1) trabalhadores enfrentam dilemas que parecem impossíveis; (2) podem e devem consultar conselheiros espirituais, particularmente líderes em sua igreja; e (3) tais conselheiros podem ajudá-los a encontrar um caminho para a integridade.

Onde Encontrar Ilustrações

Nos últimos anos, as ocupações mais comuns nos EUA incluem assistente de vendas no varejo, preparadora de alimentos, caixa e motorista. As pessoas nestes campos podem duvidar do valor de seu trabalho. Na verdade, todo mundo tem dúvidas. Os professores se perguntam se os alunos estāo prestando atençāo e os médicos se preocupam se os pacientes estāo tomando seus medicamentos. Então, como pode um pastor assegurar sua congregaçāo que seu trabalho é significativo? Através de ilustrações!

Nāo deve ser difícil para pastores descobrir ilustrações vindas do trabalho de seus amigos, especialmente dos líderes de sua igreja. Não é difícil reunir ilustrações; basta perguntar às pessoas como elas passam seus dias ou como está indo o trabalho e fazer perguntas de acompanhamento. Visto que pastores são altamente treinados, devem estar atentos às histórias de pessoas em empregos comuns. Novamente, ouvir é a chave, bem como como uma leitura ampla.

Considere o trabalhador de um drive-through de fast food que se pergunta: “será que as pessoas sabem a quantidade de sal e gordura nesta refeição?” Seria melhor se fechássemos? Pastor, conte a história da vez que você estava dirigindo por uma estrada solitária, tarde da noite, orando: “Senhor, ajude-me a encontrar comida para o último trecho dessa jornada”. Então vimos aquela placa familiar, quando trabalhadores do fast-food responderam à oração: “Pai, o pāo nosso de cada dia nos dai hoje”.

O trabalho é, de fato, o lugar principal onde amamos nossos próximos. No trabalho, há recursos, treinamento e tempo concentrados. Como pastores, ajudamos as pessoas a verem isto e a viverem isto, quando ilustramos nosso ensino com histórias que conectam os princípios à vida diária.

Traduzido por Suzana L. Braga

CARREGAR MAIS
Loading