×
Procurar

O “City to City Europe” realizou uma conferência em Paris em outubro passado, com mais de 500 participantes de dezenas de países. Além de mim, um dos outros palestrantes foi Grace Davie, professora emérita de sociologia na Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha. A palestra da professora Davie, “Religião na Europa Moderna”, foi de grande estímulo aos líderes cristãos europeus, que continuamente ouvem que a religião está morrendo no continente, e que uma missão cristã lá é uma causa perdida. Também deve incentivar a todos nós que servimos no ocidente secular.

Declínio da Religião Herdada

Davie explicou que na Europa, durante séculos a religião era herdada. A maioria dos europeus nascia em sua igreja e permaneciam como membros, a menos que algo bastante drástico ocorresse para acabar com a associação. A maioria dos países europeus tinha uma igreja nacional que fazia parte de sua identidade racial e nacional. Se uma pessoa fosse polonesa, seria católica; se fosse sueca, seria luterana; e se fosse escocesa, seria presbiteriana. No passado, embora nunca tenha havido uma igreja dominante nos Estados Unidos, uma pessoa não era considerada como um “bom americano” se não frequentasse algum tipo de igreja.

Este tipo de religião herdada está em declínio rápido, especialmente na Europa. Nossa cultura moderna recente é marcada pelo que Robert Bellah chamou de individualismo expressivo: a crença de que a identidade vem através da auto-expressão, através da descoberta de seus desejos mais autênticos e de ser livre para ser autêntico. Esta crença poderosa enfraqueceu não só a igreja, mas também a todas as instituições da sociedade, uma vez que insiste que nenhuma autoridade externa tem o direito de dizer ao indivíduo o que é certo e errado, ou como viver. Devido a este individualismo, o número de pessoas na Europa que frequentam a igreja e se identificam como cristãos está em declínio. Esse número também está em declínio na América do Norte. Mesmo aqui, a religião herdada está perdendo sua influência.

Mais do que Isto

Mas Davie mostra que esta não é a imagem completa. É verdade, o cristianismo “nominal” ou herdado está em declínio. É por isto que, no geral, menos pessoas frequentam ou pertencem a igrejas. Por outro lado, mesmo na Europa, ao contrário de todas as expectativas, outras formas de fé cristã estão crescendo e reentrando na vida pública. Uma das razões para isso é a chegada de cristãos do sul global. Na China, na África e em outros lugares ao redor do mundo, à medida que estas sociedades se modernizam, o cristianismo está crescendo rapidamente. À medida que as pessoas imigram da África, América Latina e Ásia para a Europa e os EUA, eles plantam novas igrejas ou fortalecem outras igrejas que estão crescendo e alcançando os habitantes originais.

Por quê? Porque, ainda que a religião herdada vá diminuir na era moderna, isto não ocorrerá com a religião escolhida livremente. As igrejas cristãs em crescimento hoje são evangélicas e pentecostais. Elas enfatizam o chamado bíblico de “escolhei, hoje, a quem sirvais” (Josué 24.15) e proclamam o comando bíblico de confessar a nossa própria fé, e não apenas acompanhar as escolhas de nossa família ou comunidade (Ez 18). Estas igrejas ensinam que a religião nominal e formal não é suficiente. Deve haver uma conversão interna e radical (Dt 30.6; Jr 9.25; Rm 2.29). Na medida em que o cristianismo destacar estes conceitos bíblicos importantes e elevar a fé pessoal que transforma o coração, ele alcançará muitas pessoas contemporâneas.

As cidades e Ascensão do Cristianismo

Davie, com base em seus antecedentes em sociologia, também observa que as cidades são uma das grandes causas da religião estar crescendo nas sociedades ocidentais. Ela diz que enquanto no passado as cidades eram vistas como “faróis de um futuro mais irreligioso”, agora são os faróis onde a religião em geral, e especialmente o cristianismo, florescem. Isto ocorre porque as cidades são mais multiétnicas e globalizadas, e porque “novas formas de religião” que atingem as pessoas modernas estão sendo implementadas. (Por exemplo, Davie diz que Londres atualmente tem mais igrejas em crescimento do que em qualquer outro lugar na Grã-Bretanha).

Em suma, no mundo ocidental (incluindo na América do Norte), nossas sociedades estão se tornando simultaneamente mais seculares e mais religiosas. Como diz Davie, isto é “uma combinação desafiadora”. Nem a crença em Deus está desaparecendo inevitavelmente, nem, de maneira simplista, Deus está “de volta”. Davie diz que o panorama religioso é agora “paradoxal”. O que está desaparecendo é o cristianismo herdado e institucionalizado, o que muitos chamam de “cristianismo nominal”. No entanto, novos padrões de fé cristã ortodoxa (e de outras religiões) também estão crescendo. Ao contrário das previsões confiantes da sua morte, a fé religiosa “é uma presença crescente na ordem mundial moderna”.

Um Desafio Empolgante

A mensagem de Grace Davies é empolgante e desafiadora para os cristãos nas cidades hoje. Devemos esperar um aumento do ceticismo e talvez maior oposição. O que desapareceu foi aquele grande agrupamento de cristãos nominais, individualmente não devotos, que criam que a religião era boa e importante para a sociedade, os quais não era muito difícil atrair para igrejas cristãs. Por outro lado, as pessoas contemporâneas têm as mesmas intuições sobre Deus, sobre o pecado, e sobre os anseios espirituais por amor, significado e graça, que seus ancestrais tinham. As pessoas ouvirão a mesma mensagem do evangelho. Alguns dirão: “Estão loucos!” (Atos 26.24). Mas outros terão o coração partido e perguntarão: “Que faremos irmāos?” (Atos 2.37).


Nota do editor: Este artigo foi originalmente publicado no Redeemer Report. Os sermões e palestras de Tim Keller e da Grace Davie podem ser vistos aqui (em inglês).

Traduzido por Mariana Alves Passos

CARREGAR MAIS
Loading