×
Procurar

A maioria das pessoas sabe intuitivamente que as nossas expectativas afetam profundamente nossas experiências de vida. No entanto, mesmo como crentes, nós simultaneamente esperamos muito e muito pouco. Precisamos descobrir do que devemos esperar menos e o que merece expectativas mais altas. Isso envolve baixar nossas expectativas sobre todas as vantagens que pensamos que a vida deve nos trazer, enquanto levantamos nossas expectativas a respeito de Cristo e o que Ele está realizando diariamente em nós.

Aqui estão seis expectativas falsas, aquelas que não são fundamentadas nas Escrituras e minam a nossa felicidade:

1. O Amor de Deus por Nós Deve Ser do Jeito que Queremos

Deus nos prometeu seu amor eterno, mas nós muitas vezes imaginamos como faríamos as coisas de forma diferente para aqueles que amamos, se fôssemos poderosos. Nós certamente garantiríamos que nada de ruim acontecesse a eles, certo? Esta pode ser a nossa compreensão de amor, mas não é a de Deus.

Se ignoramos as inúmeras passagens que nos prometem perseguição e sofrimento, enquanto nos concentramos naquelas que nos prometem a bênção de Deus, perdemos a visão de Sua promessa de nos disciplinar, construir o nosso caráter, e aumentar a nossa semelhança com Cristo através do sofrimento.

Devemos esperar com a mais alta confiança somente o que Deus claramente, fundamentalmente e absolutamente prometeu. E se a nossa gratidão é diminuída com tal entendimento, o problema são as nossas expectativas, não as promessas de Deus. Se esperamos que Deus torne nossas vidas fáceis, nossas expectativas não são bíblicas.

2. Não Seremos Perseguidos por Nossa Fé

Jesus disse: “Se o mundo vos odeia, tenha em mente que a mim me odiou primeiro” (João 15:18, NVI). Pedro disse que devemos ser firmes em nossa fé, “certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo.” (1 Pedro 5:9).

Apesar de várias promessas de sofrimento por toda a Escritura, muitos cristãos parecem chocados ou indignados quando têm de enfrentar estas provas. Os americanos têm sido lentos para aceitar o quanto seguidores de Cristo que crêem na Bíblia tornaram-se socialmente inaceitáveis. Embora devamos trabalhar para nos segurar às nossas liberdades religiosas, é provável que elas continuem a erodir. Mas anime-se! Oposição não é novidade para o povo de Deus, e historicamente, os maiores avanços da igreja vieram da sua época de menor popularidade.

A fé cristã pode nunca mais retornar ao seu papel central e público em nossa cultura, mas o evangelho de Cristo é maior do que todos os obstáculos. Às vezes, uma igreja menos popular se torna uma igreja mais fiel, dinâmica e alegre. Qualquer igreja cuja felicidade dependa da sua popularidade comprometerá sua integridade ou abdicará de sua felicidade – em ambos os casos falhará em mostrar ao mundo o verdadeiro e alegre evangelho de Jesus.

3. Jesus Deve Voltar Durante o Nosso Tempo de Vida

“Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá.”(Mateus 24:42,44).

Cristo certamente voltará, assim como Ele prometeu (veja Lucas 21:27). Desde o início da história da igreja, muitos crentes achavam que Cristo voltaria dentro dos próximos anos de sua vida. Até agora, todos os que morreram nos últimos dois mil anos estavam errados em suas expectativas.

Nos anos mais recentes eu ouvi muitos crentes dizerem: “Cristo tem que voltar dentro dos próximos anos.” Não, Ele não tem. Ele pode, mas ele também pode não retornar ao longo de décadas ou séculos. Isso é inteiramente uma questão só dele. Enquanto isso, cabe a nós continuarmos a viver para Ele.

4. A Vida Correrá Sem Problemas e Nós Sempre Teremos Saúde e Riqueza

M. Scott Peck começa o livro “A Estrada Menos Viajada” assim: “A vida é difícil… Uma vez que realmente sabemos que a vida é difícil, uma vez que nós realmente entendemos e aceitamos isso, então a vida já não é mais difícil.” Bem, é menos difícil, de qualquer maneira!

Paulo disse: “Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes.” (1 Timóteo 6:7-8). Alimentos e roupas podem parecer baixas expectativas. Pelos padrões do evangelho da prosperidade, essas expectativas são depressivamente baixas, mas elas são acompanhadas por expectativas em Deus dramaticamente elevadas, que é quem nos dá riquezas no céu. Afinal, Ele é a fonte da nossa alegria!

Deus prometeu fazer-nos saudáveis e ricos? Não, não nesta vida, mas somente na vida ressurreta na Nova Terra.

5. A vida será justa e as pessoas vão nos tratar de maneira amável e cuidadosa

Jesus disse: “E, se emprestais àqueles de quem esperais receber, qual é a vossa recompensa? … Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, sem esperar nenhuma paga; será grande o vosso galardão.”(Lucas 6: 34-35).

Todas as passagens da Bíblia sobre o perdão envolvem o fato de baixar nossas expectativas com relação às pessoas e não insistir para que vivam de acordo com nossos padrões, ou exigir a perfeição que nós mesmos não conseguimos atingir. A graça de Deus deve nos acalmar e nos alegrar.

Se as minhas palavras “Animem-se” parecem ingenuidade, outra pessoa, Jesus, disse primeiro: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.”(João 16:33).

6. As Igrejas Nos Devem um Tratamento Melhor do que Recebemos

Estou ciente de que, infelizmente, as igrejas têm contribuído para muita infelicidade. Mas quando nossas expectativas com relação às pessoas da igreja, e especialmente aos pastores, são excessivamente altas, tornamo-nos profundamente decepcionados, achando que os cristãos deveriam ter mais cuidado e não ter parte com a imperfeição (muitas vezes não percebendo quão imperfeitos nós mesmos somos, e que o problema com as pessoas da igreja é que, muitas vezes, elas são muito parecidas conosco).

As Escrituras nos dizem que não devemos “deixar de nos congregar, como é costume de alguns”, mas devemos nos congregar “encorajando uns aos outros” (Hebreus 10:25). Quando viramos as costas e nos afastamos da igreja local, muitas vezes nos envolvemos em isolamento espiritual que provavelmente não só nos distanciará da obra de Deus, mas também nos trará desaprovação, a nós e a nossos filhos, das obras que as grandes e boas igrejas estão fazendo.

Precisamos fixar nossos olhos em Jesus, aumentar as nossas expectativas sobre nossa necessidade pessoal de obedecer a ele, participando de e servindo à igreja, e baixar nossas expectativas com relação aos outros, para que sejamos mais compreensivos e perdoadores. Às vezes temos de encontrar uma outra igreja que ensine a Palavra de Deus e que coloque Jesus no centro. Ele vê todas as falhas da igreja, mas Ele não desistiu de Sua noiva, e não vai desistir (veja Mateus 16:18). Tampouco deveríamos nós.

Traduzido por Ethel Friggi

Originalmente publicado em epm.org. 

CARREGAR MAIS
Loading