×
Procurar

Se Você Ama a Deus, Escute-O: Cinco Razões para Ler a Bíblia Todos os Dias

Cristãos devem ser pessoas da Bíblia.

Ao longo dos anos, passei muitas horas pedindo às pessoas para verem esta frase como verdadeira. Infelizmente, ela atinge muitos como inovadora, de vanguarda ​​- ou pior, irrelevante.

Talvez seja porque estas três palavras têm a ressonância de uma das últimas ideias tabu restantes em nossa cultura: o fundamentalismo. Imediatamente, nossas mentes pós-modernas se dirigem a pregadores acima do peso e vestindo terno de três peças, da geração de nossos avós, abanando os dedos com o “Bom Livro” em suas mãos.

Dizemos que a nossa fé é orgânica, não uma fé rígida, cheia de coisas a fazer. Nosso cristianismo não é uma religião – é um relacionamento. Não que sejamos anti-Bíblia propriamente dito. Há muitas coisas na Bíblia que nos ajudaram e inspiraram ao longo dos anos. Somos contra um consumo da Bíblia sério, rigoroso, detalhista, incansável . Mas o que resta num cristianismo que não envolve seriamente a palavra de Deus? Infelizmente, um sentimentalismo raso e macio – uma religião cujo todo o sistema de crenças é mais adequado a colocar numa caneca de café do que num catecismo.

Quero lhe dar cinco boas razões para encontrar sua vida na Bíblia, pelo resto de sua vida. Antes de entrar na palavra de Deus, lembre-se de que tornar-se letrado em Bíblia não diz respeito a ser mais inteligente, fortalecer seu currículo espiritual ou exibir seu conhecimento junto aos outros. Diz respeito a olhar através das páginas para o Salvador do outro lado. Jesus diz: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida.”(João 5.39–40). Diz respeito a ver e saborear a Jesus Cristo, através de sua palavra. Nós não adoramos a fonte. Nós adoramos ao Pai.

1. Não se pode amar a Deus e não escutá-lo

Quando perguntado sobre o maior mandamento, Jesus respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento.” (Mateus 22.37–38). Não é possível amá-lo de todo coração, alma e mente sem uma constante dieta das Escrituras.

Como nosso coração deve estar engajado em prezar a Deus supremamente, assim também, nossa mente deve estar igualmente engajada em pensar sobre Deus corretamente. Pensamentos errados sobre Deus produzem um amor por Deus errado. Como Jen Wilkin escreveu: “O coração não pode amar o que a mente não conhece.”

O apóstolo Paulo rotineiramente conecta nosso amor por Deus e aos outros com um conhecimento crescente dele. “E também faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus” (Filipenses 1.9-11).

Só passamos a amar mais a Deus, ao conhecermos mais dele. E aprendemos mais sobre nosso Deus – seus atributos, sua natureza e suas promessas – ouvindo sua palavra.

2. Sua fé necessita de promessas para sobreviver.

Quando Paulo buscava encorajar seu filho na fé, Timóteo, que era acanhado, enquanto esta pastoreava a igreja em Éfeso, ele usou a arma mais forte em seu arsenal para fazê-lo: o evangelho.

“Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem do seu encarcerado, que sou eu; pelo contrário, participa comigo dos sofrimentos, a favor do evangelho, segundo o poder de Deus, que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos, e manifestada, agora, pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho.” (2 Timóteo 1.8–10)

Comentando esta passagem, John Piper diz: “A cura para os cristãos fracos é doutrina pesada.” Paulo prescreve uma verdade rica para curar a fé tímida de Timóteo. E nossa cura é esta também: a sã doutrina revelada a nós na Bíblia. Observe como sua confiança nele crescerá, ao se ancorar em milhares de suas promessas, pelo ouvir de sua voz diariamente.

3. Nós nos tornamos semelhantes àquilo que contemplamos.

Minha filha de 5 anos olhou para mim e minha esposa na semana passada e anunciou: “Quando eu crescer, quero ser uma cantora e uma mamãe!” Agora, de onde veio tal ambição? Porventura seriam os dois adultos com que ela passa a maior parte de seu tempo sāo um cantor e uma mamãe? Eis uma verdade tão antiga quanto a própria Bíblia:

E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito. (2 Coríntios 3.18)

Nós nos tornamos semelhantes àquilo que contemplamos. Olhar para Deus em sua palavra, pelo poder de seu Espírito, tem um efeito transformador em nossos corações, mentes e vidas. Com o tempo, aqueles de nós que fazem aquilo que Davi fazia (“O SENHOR, tenho-o sempre à minha presença”, (Salmo 16:8)) descobrirão que nossos interesses se tornam os interesses de Deus. Veremos que as coisas pecaminosas que outrora amamos são de repente menos atraentes. Encontraremos a santidade começando a florescer em nossas vidas. Iremos descobrir que estamos começando a parecer mais com Cristo. Sua provisāo para que nos assemelhemos a Cristo é sua palavra.

4. Você só encontrará a alegria que deseja em palavras.

Jesus passa um capítulo e meio no Evangelho de João instruindo e exortando seus discípulos. No meio do seu sermão, ele diz: “Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo” (João 15.11). Jesus diz a seus discípulos que o que ele está contando aos seus discípulos é para sua alegria!

Cada palavra de Cristo é proferida visando sua felicidade eterna. Não há nada que motive uma pessoa mais do que sua felicidade, e a encontramos aqui em preto e branco. Sua felicidade eterna está diretamente ligada ao que Jesus tem a lhe dizer.

Devemos nos apegar a cada palavra. E ele nos deu tantas palavras – palavras de promessa para nossa alegria, palavras de advertência para nossa alegria, palavras de encorajamento para nossa alegria. Palavras, palavras e mais palavras, tudo para nossa alegria nele, para sempre.

5. Há trabalho a ser feito.

Paulo nos diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3.16-17).

Tantos cristãos modernos (especialmente os jovens) têm um desejo maior de ir e fazer algo por Deus muito mais do que conhecer a Deus. Com tanta injustiça e desigualdade no mundo, é difícil para muitos de nós justificarmos gastar uma hora em quarenta palavras que um autor morto escreveu há dois mil anos atrás. Mas as palavras de Paulo não poderiam ser mais claras: se queremos ser centrados na obra de Deus, devemos primeiro ser centrados na palavra de Deus.

A palavra de Deus nos revela suas prioridades e valores. Ela nos mostra aquilo que magoa seu coração e aquilo que o faz cantar. Mostra-nos o que ele está fazendo no mundo – ao longo da história e no dia de hoje.

A Bíblia nos ensina que Deus ama o esquecido e o desajustado. Mostra-nos o valor de pastorear nossas famílias. Ela nos introduz à generosidade de outros cristãos (2 Coríntios 8.1-7) e nos conclama a sermos liberais com o que Deus nos dá. Ele proclama a santidade de toda vida humana e nos inspira a lutar pelo nascituro. Declara que diferenças de raça não devem ser uma barreira para a unidade cristã, mas uma bela ocasião para a mesma. Nós nos tornamos capacitados para toda boa obra na Bíblia.

Na Bíblia, há um tesouro para nós, se apenas insistirmos enquanto lemos. Há muito mais a ser recebido do que o conforto oferecido num cristianismo simplório. Se você deseja viver para Cristo e desfrutá-lo por uma vida inteira, e então para sempre na eternidade, aprofunde-se neste livro.

Traduzido por Rafael Salazar

 

CARREGAR MAIS
Loading