×
Procurar

O livro de Romanos é semelhante a uma cordilheira, com uma série de picos e características emocionantes. Um deles é a declaração em Romanos 5.20–21. Outro é o último versículo do capítulo 6, “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Estes são versículos que valem a pena memorizar e considerar em nossos corações. Nos deparamos com um versículo como Romanos 6.23 e temos vontade de nos sentar e deixar que a brisa do Espírito Santo refresque nossa alma através dele. Sentimos que há patamares da verdade que são ao mesmo tempo difíceis de escalar e extremamente convidativos.

O Contexto

O capítulo 6 de Romanos trata de responder à pergunta feita em seu primeiro versículo, que por sua vez surgiu por causa da graça ser gratuita, o que Paulo expôs no capítulo 5. Se Deus prodigamente nos deu tal graça, que não importa quão grande pecadores sejamos, se a graça de Deus é grande o suficiente para cobrir todos os nossos pecados, isto não nos daria licença para pecarmos o mais possível? Afinal, a graça de Deus sempre cobrirá estes pecados!

A resposta de Paulo é que tal posição é absurda e insustentável pois Deus não só desferiu um golpe mortal no registro de nossos pecados no céu mas também desferiu um golpe mortal no pecado dentro de nossos corações na terra (Rm 6.10-11, 22). Romanos 6.23 é um sumário antes de Paulo começar um novo argumento no capítulo 7 explicando o papel da lei de Deus em nos trazer à conversão e como nos relacionamos com ela após a conversão. Este sumário tem por motivo nos lembrar mais uma vez da gravidade do pecado e da graça abundante de Deus aos pecadores.

O Pecado Tem Sérias Consequências

Para começar, esta afirmação nos diz que o pecado tem sérias consequências. Paulo escreveu: “Porque o salário do pecado é a morte.” Ele usa a palavra “salário” figurativamente para dar a entender que isto é algo que recebemos porque merecemos—por assim dizer, trabalhamos para isso (6.20-21). Paulo abre a bolsa salarial de um pecador, e lá encontra somente morte. Nossos primeiros pais foram avisados sobre isto no Jardim do Éden (Gn 2.16-17). Eles não obedeceram e receberam justamente o que se tornou nosso também por herança: a morte (Rm 5.12). Esta morte, necessitamos enfatizar, não é apenas uma morte física, mas também uma morte eterna—a segunda morte (Ap 21.8). Este é o nosso pagamento ou recompensa pelo pecado.

Deus É Santo e Justo

Precisamos fazer uma pausa e fazer a pergunta: “Por que é necessário que a morte e o inferno sejam o resultado inevitável ou o pagamento pelo pecado e pelo mal?” É por causa da natureza de Deus. Ele é santo e justo. Ele necessita punir o pecado. Esta é uma realidade que quase levou Martinho Lutero a enlouquecer—a justiça de Deus—e que tem sido subestimada em nossa geração, incluindo muitos pregadores. Transformamos Deus em um tipo de figura de avô bonzinho que não se importa com as maldades e travessuras de seus netos.

Mas o Deus da Bíblia é santo e exige santidade de suas criaturas. Ele nos deu consciências, sua lei escrita e a história para nos lembrar desta realidade. Onde falta a santidade, Sua justiça exige pagamento integral. Esta é a única maneira de explicar o Éden, o dilúvio de Noé, Sodoma e Gomorra, o cativeiro de Israel e o inferno.

A Salvação É Paga Pela Morte

Esta é também a única maneira de explicar o Calvário. Paulo continua em Romanos 6.23, “o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. A vida eterna é gratuita para nós porque foi paga “em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Não perca isto! Esta é a mensagem de Paulo em todo este livro (Rm 1.4, 3.23-26, 4.25, 5.6-10, 21). Tudo isso era prefigurado no sacrifício de animais no lugar dos pecadores no Antigo Testamento. Agora, “o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo” está aqui na pessoa de Jesus Cristo, o Filho sem pecado de Deus. Nele e por causa da sua morte recebemos a vida eterna como um dom gratuito. Isto inclui alegria e paz inigualáveis, liberdade do pecado, estar na presença imediata de Deus, recompensas eternas, um novo mundo, reunião com outros cristãos em glória e muito mais. Tudo isto nos é prometido livremente em Cristo Jesus nosso Senhor.

Graça Maravilhosa

E aqui nos encontramos, nesta gloriosa cordilheira e sentindo a brisa inspiradora de graça inigualável e incomparável. Conscientes do fato de que o pecado necessita ser saldado e conhecendo intimamente nossos próprios pecados. Olhar para nós mesmos nos leva apenas ao desespero. Ninguém pode entreter a esperança de escapar do inferno se não puder descansar na satisfação da justiça divina. As boas novas para o universo são que o pecado foi pago na cruz, o que significa que não recebemos o salário que nosso pecado merece, mas sim graciosamente de Deus, a vida eterna.

Tal como Julia Harriette Johnston colocou há cerca de 100 anos:

Maravilhosa graça de nosso amoroso Senhor
Graça que excede o nosso pecado e a nossa culpa!
Lá no monte do Calvário vertida,
Lá onde o sangue do Cordeiro foi derramado.

O pecado e a aflição, tal como as ondas frias do mar,
Ameaçam a alma com perda infinita;
Graça que é maior, sim, graça incontável,
Aponta para o refúgio, a poderosa cruz.

Graça, graça, graça de Deus, Graça que perdoará e purificará por dentro;
Graça, graça, graça de Deus, Graça que é maior do que todos os nossos pecados.

Dediquemos portanto todos os nossos seres a Jesus Cristo e à sua gloriosa mensagem de esperança. Dediquemos a Deus nosso tempo, nosso dinheiro, nossas energias e nossos dons, não para ganharmos seu favor, mas em gratidão por seu gracioso favor. Nosso é o dom gratuito da vida eterna através de Cristo Jesus nosso Senhor.

Traduzido por Marq

CARREGAR MAIS
Loading