Não Ponha sua Esperança nas “Date Nights”

Unsplash
Nota do Editor: 

“Date Night” refere-se a um tempo que um casal casado dedica para passarem tempo juntos, sem interrupções ou presença de filhos, geralmente, saindo de casa para passear.

Administrar um ministério sem fins lucrativos voltado para mães de crianças pequenas significa que a nossa caixa de entrada está sempre cheia de perguntas sobre a criação de filhos e o casamento. Uma das mais frequentes é: “Como devemos fazer a “date night’?”

Por sermos mães casadas com filhos pequenos, conhecemos em primeira mão o motivo desta pergunta. Assim como os nossos ouvintes do podcast, buscamos motivos para contratar uma babá e passar um tempo a sós com o nosso cônjuge. Um jantar fora da casa, sem os filhos, pode parecer como o ingrediente secreto para um casamento saudável. Os “especialistas” em casamento elogiam a capacidade que uma “date night” tem de reativar o romance em qualquer relacionamento, e todos nós concordamos com entusiasmo, acolhendo qualquer mudança da rotina diária de trabalho, tarefas domésticas e rotinas familiares.

Mas, às vezes, a “date night” (completa com a babá e um belo jantar) pode parecer impossível, e nossa rotina noturna ininterrupta nos deixa imaginando: será necessário que dois pais cansados precisam ter “date nights” regularmente afastando-se das pressões da vida doméstica, para manterem a alegria e a intimidade do casamento? É este o ideal cristão?

Ao considerar o papel da “date night” no casamento, aqui estão quatro coisas para se pensar.

1. É um Presente Divertido

Quando podemos sair para jantar, assistir a um filme, a um espetáculo ou até mesmo passar a noite num hotel sem as crianças, o mundo parece diminuir de velocidade e nos parece mais terno. Rimos juntos enquanto colocamos queijo sobre as fritas e conversamos sobre o lado mais leve da vida. Com as responsabilidades de crianças barulhentas, cozinhas bagunçadas, agendas cheias e dificuldades financeiras fora de vista, procuramos as mãos um do outro. Podemos nos sentar um pouco mais perto e conectar com o outro um pouco mais a fundo.

Passar tempo fora juntos proporciona uma bela oportunidade para fomentar a intimidade no casamento. Se for possível abrir espaço em sua agenda, sem dúvida, faça-o! É um presente bom. Afinal, o seu casamento provavelmente não sofrerá por ter demasiada conexão intencional.

Mas ao mesmo tempo em que Deus pode usar a “date night” como uma forma para curtirmos as alegrias do casamento, ele tem muitos métodos para fortalecer a intimidade relacional e nos ajudar a florescer no casamento. A “date night” é apenas uma ferramenta na nossa caixa de ferramentas para a intimidade.

2. É um Fenômeno Moderno, Ocidental e de Primeiro Mundo

Na nossa cultura ocidental moderna de primeiro mundo, termos uma margem para o amor romântico é uma bênção. Muitos de nós têm a liberdade para escolher um cônjuge que corresponda às nossas preferências e dê aquele friozinho na barriga, especialmente naqueles primeiros meses de namoro. É uma alegria e um privilégio. À medida em que essas idéias se trasladam para o casamento, tendemos a continuar enfatizando a importância dos sentimentos românticos. Mas será que cultivar esses sentimentos através de “date nights” é essencial em casamentos que honram a Deus?

Para muitas pessoas casadas ao longo da história (e até hoje), este tipo de intimidade é inimaginável. Quando ambos os cônjuges trabalhavam ininterruptamente na lavoura, quando eram casados e escravizados, ou estavam vinculados a sistemas de casamento arranjado, a perspectiva de uma “date night” romântica moderna fora de casa parece quase risível. Deus ainda cria formas para que a união matrimonial floresça e reflita Sua glória ao mundo que os observa, quando os cônjuges se amam fielmente e servem em prol do reino.

O desígnio de Deus para o casamento aplica-se a todas as eras, culturas e circunstâncias da vida. Suas verdades, aquelas que nos ordenam a amar uns aos outros como Cristo nos amou (Jo 13.34), a permanecer firmes (1Co 15.58), a estimular uns aos outros ao amor e às boas obras (Hb 10:24). ), e a permanecer fiéis um ao outro até a morte (Ap 2:10) são relevantes para todos os casamentos e são coisas que não precisamos de uma “date night” para alcançar.

3. Nem Sempre É Possível (Mesmo na Vida Moderna)

Quando presumimos que as “date nights” regulares são o indicador fundamental para um bom casamento, fazemos com que as pessoas com menos recursos questionem a solidez de seus casamentos. Às vezes, um casal adoraria passar mais tempo juntos sem as crianças, mas, por várias razões, esta não é uma opção realista.

Talvez um cônjuge esteja nas forças armadas fora do país, talvez trabalhe por longas horas ou seu trabalho requer que viaje. Talvez o casal não tenha muita margem financeira para contratar uma babá ou ainda esteja tentando construir uma rede de cuidado das crianças em uma nova comunidade. Talvez um casal tenha um filho com necessidades especiais e encontrar um cuidador requer achar alguém com treinamento especial e credenciais.

Quando pensamos falsamente que a “date night” é a única maneira de crescer no casamento, de desfrutar um do outro, de promover a intimidade e de manter um compromisso saudável, acabamos nos sentindo continuamente derrotados e desapontados. Deus é gracioso em prover muitas maneiras para os casais se conectarem e se aprofundarem em seu amor um pelo outro, além de uma “date night”. De fato, as épocas sem as “date nights” podem ser os tempos em que melhor revelamos a beleza da nossa aliança, ao amarmos e servirmos um ao outro com perseverança nos tempos difíceis.

4. Deus Pode Abençoar Seu Casamento de Muitas Outras Maneiras

Um casamento saudável não é gerado ao marcar “date nights” semanalmente na agenda para que possamos dizer que tentamos ficar juntos. É sobre buscar a Cristo primeiro e refletir Seu amor um pelo outro. Jesus não tem que “namorar” Sua noiva apenas em ocasiões especiais, porque ele sempre é por ela — tanto no mundano quanto no espetacular. A igreja não tem que esperar por um evento extravagante ou avivamento espiritual para expressar amor por Cristo, porque ela deve sempre servi-lo e segui-lo em amor.

Com uma visão holística do amor conjugal e uma compreensão do modo como a nossa união se encaixa na história final da redenção, os cônjuges podem trabalhar juntos pelo evangelho — quando conseguimos ter “date nights” e também quando não conseguimos.

 

Traduzido por Mariana Ciocca Alves Passos.

Compartilhar
CARREGAR MAIS
Loading