Êxodo É Um Bom Livro Para Estudar com Adolescentes

Pixabay

Observando as opções na seção para adolescentes da livraria cristã local onde compro, fiquei muito desanimada. O que deveria ensinar a meu pequeno grupo de garotas adolescentes? Tudo parecia se tratar de conselhos superficiais para questões complicadas da vida na adolescência — estudos que ao invés de alcançar o coração e de aplicar o Evangelho, davam lugar a mensagens de bem-estar para viver uma vida adolescente feliz e bem-sucedida.

Eu queria algo além. Os adolescentes necessitam de algo mais.

Adolescentes necessitam que seu enfoque seja retirado de si mesmos. Necessitam estar profundamente enraizados nas Escrituras, de aprender quem Deus é, além dos chavões que porventura tenham aprendido na escola dominical. Necessitam entender sua Palavra como uma história contínua sobre o seu Filho, que se desenrola ao longo do tempo. Caso contrário, as Escrituras podem parecer apenas como partes desconexas de conselhos e regras. Não admira que frequentemente seja lida apenas com o objetivo de marcar a devocional da lista de tarefas. Não é de admirar que seja tão frequentemente mal aplicada.

Cristo e Nós no Êxodo

Naquele dia, na livraria, saí de mãos vazias. Não estava disposta a me contentar com qualquer coisa na qual o Evangelho tivesse sido diluído. Após uma busca na internet não ter fornecido alguma opção, decidi usar uma série de sermões do meu marido, que é pastor, como um ponto de partida para escrever meus próprios estudos bíblicos. Comecei com Êxodo, porque nele, o padrão de redenção de Deus é apresentado tão claramente, como em poucos outros.

Para a maioria do meu grupo, identificar a Jesus no Antigo Testamento foi bastante revelador. Elas não tinham a expectativa de que Ele estivesse em lugares tal como a décima praga, o deserto e o tabernáculo. Também não esperavam ver como somos tão semelhantes aos israelitas.

Pela murmuração ingrata e idolatria dos israelitas, é fácil entender por que eles necessitavam de um redentor. Mas quando lemos Êxodo através das lentes da história maior de redenção de Deus, vemos que não se trata apenas de uma história sobre os israelitas; é a nossa história. Nós também nos afastamos do domínio e do reino de Deus, e nos curvamos aos falsos deuses. Nós também necessitamos ser resgatados.

Enxergando o Pecado Claramente

Os adolescentes necessitam entender este ponto. Todos nós necessitamos. Quando consideramos como pecado somente aqueles comportamentos muito maus e externos, não percebemos quão profunda é nossa necessidade de resgate. Pensamos que se simplesmente evitarmos certas coisas, estaremos muito bem. Portanto, a adolescente que vai à igreja a cada semana, que não bebe ou faz sexo, sente-se bastante virtuosa — especialmente se comparado às colegas que não atingem seus padrões.

Quando consideramos como pecado somente aqueles comportamentos muito maus e externos, não percebemos quão profunda é nossa necessidade de resgate.

Mas o Êxodo nos mostra que todos estamos mais contaminados pelo pecado do que pensamos. O pecado macula nossos motivos e desejos, e aparece naquilo ou a quem adoramos — os falsos deuses aos quais nos voltamos para buscar uma identidade. Seja nossa aparência, nosso desempenho, nosso perfeccionismo, nosso desejo por reconhecimento ou aceitação, somos tal como os israelitas com seu bezerro de ouro.

Mas as boas novas de Êxodo são: o pecado não é o fim da história. Múltiplas vezes, Deus interveio em favor de Israel. E quando eles continuaram a desobedecê-lo, ao invés de rejeitá-los, ele fez algo chocante. Deus estabeleceu um relacionamento permanente por meio de uma aliança que o declarou como seu Deus e eles como seu povo. Em outras palavras, ele se aliou permanentemente a eles. É isto o que Cristo faz ao unir-se àqueles que têm fé nele.

A Graça para os Culpados

Portanto, em todo o Êxodo, vemos um Deus que luta por seu povo e não os deixa ir, não porque sejam dignos, mas por ele ter colocado sobre eles o seu afeto. Ele é um Deus que ama dar Graça aos culpados; que ama ofertar dádivas a seus filhos.

Estas são novas incríveis para um adolescente cheio de culpa e vergonha, ou aquele que esteja lutando contra as tentações, aquele cheio de ansiedade e insegurança, aquele que necessita de amigos, aquele cheio de dúvidas e aquele que é feliz e popular e que necessita ser confrontado com a realidade de suas falsas identidades.

Cristo cumpriu aquilo que vemos na libertação dos israelitas por Deus. A esperança de Israel e a nossa esperança repousam na fidelidade de Deus para cumprir suas promessas — promessas garantidas por sua Palavra.

Esta é a mesma Palavra que se revelou a Moisés no sarça como o grande EU SOU, e mais tarde mostrou a Moisés a sua glória como Ele proclamou ser,

“Compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniquidade, a transgressão e o pecado, ainda que não inocenta o culpado”. (Ex 34.6-7)

A mesma Palavra também se tornou o cordeiro sacrificial, para que a ira de Deus pudesse passar por nós.

Nossos adolescentes necessitam se deparar com esta Palavra que é Cristo na história dos israelitas no Êxodo para ajudá-los a confiarem naquilo que permanece verdadeiro para o povo de Deus em todas as épocas. E ao fazê-lo, que possam desejar mais do verdadeiro pão da vida que Deus provê.

 

 

Traduzido por Luiz Santana

CARREGAR MAIS
Loading