Dicas para um Ministério Estratégico

www.Lightstock.com

A grande maioria dos pastores está no ministério porque querem fazer algo impactante. Quando perguntamos a eles sobre o que constitui este algo impactante, a maioria responderá algo ao longo das linhas de ajudar as pessoas a conhecerem e a seguirem fielmente a Jesus. Há pouca discordância sobre o que estamos fazendo. O como estamos fazendo, é uma história um pouco diferente.

Como pastor, minha caixa de entrada, feed do Twitter e revistas, estão repletos de pensamentos de pessoas sobre como ter um ministério estratégico. Existe uma grande quantidade de livros visando nos ajudar a reimaginar, reinventar e a repensar a igreja. Os visionários, os catalisadores e outros especialistas dão sua opinião. Desejam que implementemos suas estratégias. Certamente, não sou contra pensar, avaliar e tentar ministrar fielmente em nosso contexto, que está constantemente mudando. Mas me canso da enxurrada de novas idéias. Não somos os primeiros cristãos, nem somos os primeiros a enfrentar desafios. Além disto, não nos foi dado um conjunto diferente de Escrituras para orientar e governar a igreja. Se cremos na suficiência das Escrituras, devemos manter que nos foi dado tudo do que necessitamos para estarmos equipados a navegar e mesmo florescer em nossos respectivos contextos.

À luz disso, o que podemos observar os apóstolos fazendo, quando enfrentaram desafios? Quando consideravam aquilo que buscavam e o que enfrentavam, o que faziam? Eles oravam. Leia as epístolas às igrejas e veja o que eles fizeram (como Ef 1.15-22, 3.14-21; Fp 1.9-11; Cl 1.9-13). Por quê? Porque eles entendiam que a natureza da batalha não era carnal. A batalha nāo seria ganha com demonstrações de sabedoria, com inovação, com habilidades pessoais ou coisas semalhantes. A natureza da batalha era espiritual. Portanto, a obra é espiritual (Ef 6.10-20). Portanto, eles oravam. E muito.

Minhas dicas para um ministério estratégico não são realmente criativas. Certamente não são inovadoras. No entanto, são clássicas, atemporais e comprovadas.

Se quisermos alcançar o objetivo de ajudar pessoas a conhecerem e a seguirem fielmente a Jesus, então necessitamos orar. Esta é a melhor estratégia.

Quero dar-lhe três aspectos da oração que creio serem especialmente estratégicos para o ministério.

A Oração Privada

Como pastor, ajudo mais minha congregação quando me recordo das palavras de Jesus, “porque sem mim nada podeis fazer” (Jo 15.5). Um aspecto chave de um ministério sólido é um ministério de oração; o ministério é mais do que a oração, é claro, mas nunca será menos do que a oração. Tenho certeza de que posso fazer muito pelo bem de minha congregação através da oração, mais do que eu jamais poderia imaginar.

Recentemente, este ponto se tornou claro para mim, através de várias maneiras. Um dia, eu estava orando por um irmão de nossa igreja, para que Deus erguesse seus olhos para ver a beleza da igreja. Alguns dias depois, recebi uma nota deste mesmo rapaz que expressava seu amor pela igreja. Outro casal nāo estava frequentando as reuniões de domingo regularmente. Juntamente com outros, eu havia entrado em contato com eles, mas nada havia mudado. Estive orando por eles, e começaram a participar com mais frequência e até mesmo fizeram uma declaração de que necessitavam priorizar isto mais. Eu poderia continuar ainda mais, sobre pessoas pelas quais tenho orado por seu crescimento, suas vidas de oração, evangelismo, contentamento e serviço. Deus responde às orações. E muitas vezes responde às orações privadas do pastor antes que comece a abençoar seu ministério público.

Pastor, sua oração privada por sua família da igreja é um ministério estratégico. Sugestão: Dedique um bloco de tempo regular ao diretório de membros da sua igreja, orando por cada nome / família.

A Oração Pastoral

A oração do pastor durante o culto é particularmente estratégica. Além do que mencionei acima, em termos de Deus responder às orações, também tem o efeito de discipular a congregação em como orar. Pastores que dedicam um tempo para isto, especialmente quando a igreja está reunida, servirão bem a suas congregações. Durante estes momentos, os pastores podem modelar o louvor bíblico, as lamentações, a confissão, o arrependimento, a intercessão e o quebrantamento.

Pastor, sua oração pastoral pública pela família da igreja é um ministério estratégico. Há precauções apropriadas, é claro (Mt 6.1; Lc 20.47). Sugestão: identifique áreas em que gostaria de ver sua igreja crescer e inclua isto em suas orações pastorais. Identifique necessidades da igreja na vida real e entāo, ore por elas. Alicerçar nossas orações na Bíblia e durante os cultos ajudará a reforçar o que nós, como igreja, devemos ser e fazer. Este ministério estratégico ao longo do tempo, sem dúvida, trará benefícios surpreendentes.

A Oração Corporativa

Os cristãos devem ser pessoas de oração. Isto não se limita aos pastores, mas inclui todos os membros da igreja (Cl 4.2; 1 Ts 5.17). E isso não se limita apenas a um tempo devocional pela manhã, mas o tempo todo e especialmente quando a igreja se reúne para a oração. Historicamente as igrejas tinham uma reunião de oração, um tempo reservado quando a igreja orava junta. Infelizmente isto é muito menos comum hoje em dia. Mas é precisamente neste tempo em que a igreja se reúne para orar pela igreja e suas necessidades que as pessoas são moldadas. À medida que os homens e as mulheres oram para que o nome de Deus seja santificado e que sua vontade seja feita, a igreja é recalibrada para Deus e para a Palavra.

Pastor, sua reunião de oração corporativa é um ministério estratégico. Sugestão: se sua igreja não tem uma reunião de oração, considere reservar algum tempo por mês (ou por semana!) para se reunirem e orar. Você não se arrependerá.

A igreja existe há séculos. Gerações surgiram e desapareceram, bem como seus desafios específicos. Certamente temos desafios que são exclusivos de nosso contexto atual; no entanto, os meios pelos quais respondemos a estes desafios não mudaram.

A oração é um ministério estratégico. Qualquer estratégia ministerial que não inclua ou enfatize a oração é uma estratégia ruim.

Traduzido por Marq

 

Compartilhar
CARREGAR MAIS
Loading