×
Procurar

“E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn 1.27)

Você já pensou que ser mulher é uma expressão do propósito de Deus para você? Você não é uma mulher por acidente; isso e todos os detalhes de sua vida foram planejados de antemão por nosso bom Pai.

Deus criou seres humanos sexuados com o propósito de refletir Sua imagem na criação. Ele planejou que algo de Sua natureza seria mostrado através da sexualidade humana.

A Palavra nos ensina que Deus vê o fim da história antes mesmo que ela comece:

“Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro Deus, não há outro semelhante a mim; que anuncio o fim desde o princípio e, desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade,” (Is 46.9-10)

Definitivamente, o fato de você ser uma mulher não é um acidente. Sua sexualidade é importante.

O propósito da sexualidade

O sexo determina o comportamento, a forma física, e até mesmo a estrutura cerebral e o modo de pensar ou ver a vida. Quando falamos de sexualidade, não devemos pensar apenas sobre relações sexuais. Ao criar-nos sexuados, Deus tinha algo muito mais amplo em mente do que a relação sexual.

Mulheres e homens são diferentes, o que é evidente em seus corpos e nas habilidades físicas e emocionais de cada um. Isso é útil para o serviço da sociedade. Os homens têm uma estrutura física com maior musculatura, e podem exercer maior força. Nós mulheres, temos mais habilidades relacionais e uma inclinação para cuidar dos outros. Nossos cérebros têm estruturas diferentes, o que nos faz perceber a realidade e responder à ela de maneiras diferentes. Esta distinção permite-nos servir no meio da comunidade onde Deus nos colocou.

Complementaridade:

O homem é o líder e a mulher é a ajuda idônea (Gn 2.18; Ef 5.23). Deus designou papéis para cada sexo para realizar seus propósitos. Homem e mulher, iguais em dignidade e diferentes em função para se complementarem (o que deve ser evidenciado especialmente no matrimônio). Desenvolver nosso potencial não é competir para provar quem é melhor; ao contrário, temos a bela oportunidade de como uma equipe, sermos complementares uns aos outros, enquanto apreciamos as diferenças e aprendemos a celebrá-las.

Conexão:

A relação sexual entre cônjuges produz um vínculo que transcende o físico, envolvendo o aspecto emocional e espiritual do ser humano (Gn 2.24 -25). A anatomia e o funcionamento dos órgãos sexuais permitem uma conexão física natural, perfeita e agradável entre os cônjuges. Essa experiência gera e fortalece o vínculo conjugal. O matrimônio é uma parábola que nos mostra a união de Cristo com a sua Igreja; essa união eterna que na mente de Deus já se realizou (Ef 5.29-32). Enquanto aguardamos com certeza a celebração das bodas do Cordeiro, a união matrimonial deve lembrar-nos como será isto na eternidade.

Procriação:

Deus dotou cada sexo de características físicas que lhe permite funcionar para que, quando unidos, possam reproduzir e encher a terra, cumprindo o mandato que Deus estabeleceu desde o início da criação (Gn 1:28). Separadamente, homens e mulheres não podem se reproduzir (tampouco em uniões do mesmo sexo). Deus planejou a necessidade de interdependência mútua para a procriação. O produto da concepção, crianças, tem componentes genéticos de ambos os pais. Uma maravilha! Sem a sexualidade isso não poderia ser cumprido.

Estrutura familiar como base da sociedade:

A masculinidade do esposo-pai lhe confere características para exercer sua responsabilidade como líder servo, provedor e protetor. A feminilidade da esposa-mãe, por outro lado, possui os dons que a fazem ser capaz de ajudar, cuidar e nutrir. Quando cada membro do casal protagoniza corretamente seu papel em relação aos filhos e à sociedade, eles cumprem o propósito de Deus e abençoam a família. Quando estes papéis são invertidos, as consequências são evidentes na relação do casal e os efeitos nocivos em seus filhos podem ir muito além no futuro.

Sua sexualidade não é um acidente

Deus se importa com a sua sexualidade, porque através dela você pode decifrar boa parte de Seu propósito em sua vida. Como mulher, é claro que há coisas que não estarão na lista de prioridades de Deus para você (por exemplo, liderar o casamento ou apresentar-se e comportar-se de forma varonil). O sexo é o sinal que caracteriza quais papéis correspondem a cada um em interação com o outro.

O teu sexo é uma parte crucial da tua identidade, e te acompanha até até que você deixe esta terra. Você não o escolhe, Deus o faz; na verdade, Ele o fez de antemão e sem equivocação. Ele sabe que o sexo que temos muda a forma como vemos a vida e respondemos a ela. O Senhor levou isso em conta para criar você sendo mulher, assim como o fato de que você nasceu na época e nas condições em que nasceu. Não há nada improvisado. Tudo faz parte de um plano.

Deus se importa com sua sexualidade porque ela está incluída no plano Dele para você. Ele espera que você viva sua vida mostrando Sua glória através da feminilidade com que Ele te dotou, isso te dará plenitude. O oposto também é verdadeiro: se você vive desconsiderando sua identidade sexual, não aceitando o desígnio de Deus para você, você viverá insatisfeita e sem propósito.

Deus nos chama a viver de uma maneira consistente com o sexo que Ele planejou que tivéssemos. Isso alegra ao Senhor e nos abençoa. Te convido a fazer parte do propósito de Deus, celebrando ser mulher, enquanto você O serve com alegria e contentamento.

Traduzido por Lea Meirelles.

CARREGAR MAIS
Loading