×
Procurar

5 Maneiras de Ajudar as Crianças a se Comunicarem Bem nas Mídias Sociais

Sou muito grato pela opção ‘deletar’ quando estou revendo criticamente alguma das minhas postagens de mídia social. Certamente não sou só eu. Talvez tenha sido o conteúdo do que foi escrito, ou como foi dito, ou a imagem anexada, mas nāo é verdade que todos nós já postamos alguma coisa que gostaríamos que não tivéssemos feito?

O que é verdade para os adultos é muito mais verdadeiro para os nossos filhos.

A mídia social adiciona dimensões à comunicação que a diferenciam das interações face a face. Caso ignoremos o impacto destas dimensões, nós e nossos filhos faremos e diremos coisas das quais nos arrependeremos. Caso entendamos os desafios do mundo virtual, nós e nossos filhos poderemos transformá-los em catalisadores para o crescimento pessoal e o desenvolvimento de relacionamentos mais fortes.

Diferente da Conversa Normal

Vamos considerar três maneiras significativas pelas quais a mídia social é diferente da interação face a face.

Primeiro, algumas plataformas de mídia social são anônimas. Interagimos com pessoas que possivelmente não conhecemos pessoalmente e que provavelmente nunca conheceremos. Visto que as opiniões delas nos afetam menos do que as das pessoas com quem nos encontramos regularmente, somos menos cuidadosos com o que dizemos para elas on-line do que somos em contatos pessoais.

Segundo, não há uma maneira de identificar por uma expressão física do leitor, qual é o efeito de nossas palavras e ações. Quando falamos diretamente com alguém, vemos como o afetamos quando sorriem, franzem a testa, parecem envergonhados, se aborrecem, riem, choram, continuam conversando ou se afastam A mídia social nos mantém cegos para estes efeitos, inserindo distância espacial entre as pessoas — e o que está longe da vista está muitas vezes longe da mente.

Em terceiro lugar, o ciclo de resposta favorece os extremos. As pessoas desejam saber que são importantes para os outros, que seus pensamentos e ações têm algum efeito e não são sem sentido. Mas como podemos nos sentir importante se não podemos ver ninguém? Há que depender de respostas indiretas por meio de réplicas, comentários e emoticons. Mas por ser somente uma pequena pessoa entre bilhões pedindo atenção, você terá que se destacar para obter qualquer resposta, o que o convida a ser provocativo no que diz ou faz.

Agente do Bem?

O que aconteceria se você passasse muito tempo lutando para atrair a atenção de estranhos online, cuja opinião sobre você não afetaria sua vida? Este é um convite para comunicar coisas on-line que você jamais diria pessoalmente. E é um convite tentador tanto para seus filhos quanto para você.

Mas é também um convite que vocês podem usar para o bem, por pelo menos cinco maneiras.

1. Lembre-se de que todas as coisas estão descobertas aos olhos de Deus.

Nossa tendência de sermos menos cuidadosos nas mídias sociais nos relembra que não podemos guardar segredos de Deus. Ele conhece tudo o que passa em nossos corações e mentes, porque ele é quem esquadrinha a ambos (Jr 17.10; Ap 2.23). O que você e seus filhos veem nos posts dos quais você se arrepende mais tarde, ou em posts embaraçosos que você simplesmente evita publicar? Veem o que Deus já viu. Vislumbram a realidade sombria que se esconde sob a superfície de cada coração (Gn 6.15; 8.21).

E é bom nos tornarmos mais transparente conosco mesmos. É fácil viver aqui na terra como se pudéssemos esconder as coisas do Senhor e dos outros. A mídia social remove alguns dos filtros que mantemos em relacionamentos face a face, permitindo que nos vejamos com um pouco mais de honestidade.

2. Faça algo positivo com aquilo que você vê agora.

Ajude seus filhos a entenderem que, em um mundo sombrio, poder ver com maior precisão é uma dádiva de Deus Os poderes do mal conspiram com nossas inclinações pecaminosas para nos impedir de nos ver a nós mesmos com precisão (2Co 4.4; Rm 1.18).

Somente a graça de Deus desmascara a fealdade dentro de nós para que possamos nos arrepender (Rm 2.4). Quando a máscara cair, agradeça a Ele por deixá-lo ciente disto e peça perdão a ele. Você não tem nada a perder. Nada, nem mesmo o pecado que habita em seu interior, pode separá-lo dele (Rm 8.31-39). Este abraço seguro o liberta para ver o que ele vê e para conversar rápida e francamente com ele sobre isto.

3. Empenhe-se para mudar o que você vê.

É bom que você se arrependa e seja purificado do pecado, mas isso não é o mesmo que aprender a amar profundamente as pessoas com suas palavras. Uma vez que o que você está prestes a postar será lido por outros que são imagem e semelhança de Deus, vale a pena tirar um momento para considerar como isso poderia afetá-los.

Visualize o rosto de alguém e pergunte a si mesmo: Quando lerem meu post, eles serão ajudados, encorajados, desafiados ou ficarão melhores pelo que eu escrevi? Ou ficarão feridos, desencorajados, desanimados, aborrecidos ou tentados a crer que o mal é o bem ou vice-versa?

4. Lembre-se, não há segredos na internet.

Enfatize este ponto aos seus filhos. Eles necessitam entender que perdem o controle assim que teclam “enter”, que os posts desenvolvem vidas próprias. Mesmo que ele seja deletado, alguém já pode tê-lo copiado e passado adiante.

Esta é uma boa oportunidade para ensinar a seus filhos: “Não diga nem escreva nada que você não queira que todos no universo saibam”. Embora este seja o objetivo de nossa comunicação em qualquer aspecto da vida (Lc 12.2-3), isto é essencial em mensagens on-line. Ajude seus filhos a se tornarem mais sábios no que eles comunicam, ensinando-os a se perguntarem: “Ainda vou pensar bem deste post quando _________ (meus pais, meus filhos, um potencial namorado/namorada, futuro empregador ou meu pastor) o ler?”

5. Desenvolva uma comunidade real.

Haverá momentos em que você ou seu filho ainda não terão certeza sobre se devem postar algo, mesmo após refletirem sobre como isto poderia afetar os outros e se estarão orgulhosos disso mais tarde.

O que fazer, então? É aí que eu consulto pessoas confiáveis, que já conhecem o que há de pior em mim e me amam de qualquer maneira. É possível usar a incerteza da comunidade virtual para construir conexões mais sólidas no mundo físico, que o ajudarão a se relacionar melhor em ambas as esferas.

Meios de Crescimento

A comunidade on-line pode tentá-lo a dizer coisas que de outra forma não faria, mas também pode ser um meio para ajudá-lo a crescer espiritualmente.

Leve essa oportunidade a sério e use-a para se ver mais claramente, obter graça mais rapidamente e construir relacionamentos com pessoas no tempo e no espaço que realmente o conheçam.

Traduzido por Victor Santana

 

CARREGAR MAIS
Loading