3 Mentiras Perigosas Nas Quais Líderes de Ministério Creem

Ben White em Unsplash
Nota do Editor: 
O mais novo livro de Eric Geiger, “How to Ruin Your Life: And Starting Over When You Do” [Como Arruinar Sua Vida: E Como Começar de Novo Após Fazê-lo], aborda estes problemas com muito mais detalhes, examinando a implosão e a restauração de Davi.

Mais um dia, mais um líder caído. Pelo menos, parece assim. Parece que constantemente somos surpreendidos por grandes e piedosos líderes que implodiram. Nossos corações se entristecem ao ouvirmos falar de casos, indiscrições morais e lapsos significativos de integridade em treinadores, políticos, líderes de negócios e até mesmo pastores. Líderes de ministério parecem receber maior escrutínio público, pois as pessoas corretamente esperam que andem em santidade, estejam acima de qualquer reprovação e ponham em prática os sermões que pregam.

Embora pareça uma epidemia, não somos a única geraçāo a ver grandes líderes caírem. Quando pensamos, “não posso acreditar que isso tenha acontecido com ele”, devemos imaginar a surpresa daqueles que souberam da queda do rei Davi. Ele era conhecido como “um homem segundo o coração de Deus”, que compôs salmos, conquistou inimigos, uniu o povo de Deus e recebeu uma promessa de Deus de que seu trono duraria para sempre.

Antes de viver num palácio, ele se escondia do antigo rei em cavernas e “acordava a alva”, regozijando-se por Deus ser seu refúgio (Sl 57). Antes de ser rei, ele declarava que “Os que olham para ele estão radiantes de alegria” e encorajou outros a “apartarem-se do mal e praticar o que é bom” (Sl 34).

Mas não numa noite no terraço do palácio.

A Implosão

Naquela noite fatídica, Davi não encontrou seu refúgio no Senhor, mas nos braços de uma mulher casada. Naquela noite ele não olhou para o Senhor e se afastou do mal, mas olhou para o mal e se afastou do Senhor. Se ao menos ele tivesse escutado seus próprios sermões, seus próprios salmos. Se apenas uma infinidade de líderes tivessem dado ouvidos a seus próprios sermões.

Um edifício que implode, por fora parece alto e gigantesco, mesmo quando explosivos estão sendo colocados estrategicamente para fazê-lo desmoronar na hora certa. Da mesma forma, existem mentiras explosivas vindas de dentro, que levam líderes do ministério a desmoronarem. Por fora, tudo parece normal e bom e até vibrante e próspero, mas os explosivos já estão colocados. É muito possível fazer um ministério crescer ao mesmo tempo em que o coração se esfria para com Deus.

Nos últimos anos, refleti muito sobre líderes de ministério caídos. Observei líderes piedosos que amo e respeito implodirem, e observei mentiras explosivas sob a superfície trazerem consequências devastadoras para seus amigos, suas famílias, seus ministérios e para o mundo exterior que está de olho.

Estas mentiras também provocaram a queda de Davi, e se crermos nelas hoje em dia, têm o mesmo efeito destruidor. Aqui estão três destas mentiras.

Mentira Nº 1: “Ser líder é uma posição solitária, e tudo bem .”

A história da queda de Davi começa quando ele está isolado, após enviar Joabe e seus oficiais para a guerra. Joabe mais tarde confrontaria a Davi sobre o recenseamento, mas ele não estava lá na noite em que Davi passeava pelo terraço da casa real. Davi se separou dos homens que poderiam responsabilizá-lo. As pessoas no palácio eram impressionadas com ele e não lhe queriam contar a verdade. Dietrich Bonhoeffer estava certo quando escreveu que “o pecado exige ter um homem sozinho”.

O clichê de que “é solitário ser líder” pode facilmente tirar o líder de sua comunidade e isolá-lo.

As dores da vida e do ministério podem nos tentar a nos cercar de pessoas que validam nosso pensamento, que estão impressionadas conosco e que nos trarão qualquer coisa que pedirmos. Líderes de ministério podem frequentemente pregar sobre os benefícios de estar numa comunidade e construir estruturas para facilitar a vida em comunidade e ao mesmo tempo viverem isolados. E isto não é bom.

Os líderes devem arriscar viver em comunidade, pelo fato de que o isolamento é mais arriscado ainda. Quando Davi implodiu, ele o fez isoladamente. Quando ele se arrependeu, ele o fez em comunidade.

Mentira nº 2: “O tédio é apenas uma fase”.

Não consigo me lembrar de quantas vezes líderes de ministério confessaram que “não são desafiados” ou estão “em uma temporada entediante”. Eu costumava não dar muita atenção à tais confissões, mas agora vejo o tédio como um sinal alarmante.

Davi estava inquieto e entediado no terraço. Davi, que antes via Deus como seu refúgio e seu cálice de bênçãos, não estava mais satisfeito em Deus ao se levantar de seu leito e estava buscando algo mais para satisfazê-lo.

O tédio não é apenas uma fase; é um afastamento da busca d’Aquele que nunca entedia. E quando nossos corações perdem a reverência e a admiração por Ele, nós vagamos dEle para coisas que nos destruirão.

Mentira nº 3: “Por ser o líder, mereço estas coisas.”

Davi ficou sabendo que Bate-Seba era casada com um dos seus próprios homens que lutava por ele no campo de batalha. Ele mandou chamá-la de qualquer maneira, essencialmente dizendo: “Eu sou o rei e mereço qualquer coisa que eu queira”. Davi por suas vitórias, taxas de aprovação e realizações, certamente se sentia com direitos extras. Sentia que merecia isto. Quando Natã confrontou Davi, ele realçou a ingratidão de Davi por tudo que o Senhor lhe dera.

Sempre que um líder sente que merece alguma coisa, se esqueceu que só temos o que recebemos pela Graça (1 Co 4.7). À medida que nosso senso de direitos aumenta, a gratidão pela Graça sempre diminui. E à medida que a gratidão pela Graça diminui, a probabilidade de cair é exponencialmente maior.

O isolamento, o tédio e o orgulho não são pecados para serem domados, mas pecados que necessitam ser liquidados. Eles estão destruindo outros. Podem também nos destruir.

 

 

Traduzido por Felipe Barnabé.

Compartilhar
CARREGAR MAIS
Loading