11 Maneiras Como Noivos Devem Lidar com Suas Finanças Antes do Casamento

Unsplash

Então você está noiva(o) e agora está se preparando para o grande dia. Existem milhares de coisas na sua cabeça. Vestido de noiva. Os convites O bolo. O fotógrafo. A lista só continua.

E quanto às suas finanças? Se você é um solteiro típico, você faz seu melhor para gerenciar suas finanças e ter uma boa noção de quanto está entrando e saindo da sua conta bancária. Mas agora você vai se casar. O que deveria mudar? Gurus de casamento realçam três grandes áreas de conflito entre casais, que são o sexo, a criação de filhos e as finanças. Como você pode evitar brigas futuras sobre dinheiro?

Aqui estão 11 recomendações.

1. Seu dinheiro não é apenas uma tema prático, mas um tema espiritual

Não divida erroneamente sua vida em gestão financeira e assuntos espirituais. Como cristãos, tudo na nossa vida submete-se à soberania de Deus, incluindo nossas finanças. Como disse Jesus: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” (Mt 6.24).

Um seguidor de Jesus não pode ter lealdades divididas; o Senhor deve ser o primeiro em todas as coisas. E as prioridades cristãs devem guiar a administração de nosso dinheiro. A administração do dinheiro é uma questão espiritual. Seu dinheiro pode ser usado para propósitos do Reino, ou pode atrapalhar seu relacionamento com Deus. Qual o seu caso?

2. Não unifique suas finanças antes do grande dia

David e Sally estavam noivos. As coisas correram tão mal que eles se separaram. O problema era que eles haviam unificado suas finanças e não sabiam quem gastou o quê.

Você ainda não está casado(a). Portanto, não finja ser casado com todas as vantagens do casamento. Lidar com finanças unificadas após uma ruptura desagradável é uma enorme complicação. As tensões já estão altas o suficiente quando as coisas desmoronam. Por que adicionar algo mais a essa bagunça?

3. Unifiquem suas contas bancárias após o casamento

Como se lida com o dinheiro no casamento diz muito sobre a confiança mútua. Casar significa unir tudo. Já não é mais o dinheiro dele, nem o dinheiro dela, mas o nosso dinheiro. Os votos matrimoniais tradicionais geralmente afirmavam: “Com este anel, me caso com você e confiro em você todos os meus bens…”. Se você não está disposto a confiar seu dinheiro e tudo o que possui ao seu futuro cônjuge, por que está se casando?

Isso é assunto sério. Não aceito fazer o casamento de um casal se eles não unirem suas contas bancárias após o casamento. Isto sinaliza que eles não confiam um no outro nas coisas importantes.

4. Vocês necessitam ter um orçamento

Em si mesmo, o dinheiro tem um sentido. É um indicador de valor. Portanto, quando brigamos por conta do nosso dinheiro, estamos brigando por aquilo a que damos valor.

Adquirimos tais valores em diferentes contextos (família, igreja, educação e assim por diante). Como cristãos, seus valores serão semelhantes. Valorizam a Deus e a seu Reino (Mt. 6.19-21, 33). Desejam ter um espírito generoso (Pv 14.21, 31; 2 Co 9.11). Administram seus recursos com sabedoria (Pv 27.23). No entanto, mesmo como cristãos, vocês adquiriram diferentes valores financeiros decorrentes das diferentes formações, educação e experiências.

Aqui está o problema: nossos valores financeiros são principalmente intuitivos. E estes valores implícitos se tornarão explícitos no casamento. À medida em que seus valores diferentes entrem em conflito, isto poderá criar tensão.

Então, como evitar conflitos por conta de dinheiro? Estabeleça um conjunto comum de valores — um sistema de valores compartilhados. O marido e a esposa devem operar dentro de um conjunto de valores financeiros mutuamente acordados. Quando vocês estabelecem um orçamento em conjunto, os valores implícitos são discutidos ao responderem à pergunta: “O que nós valorizamos mutuamente?” Seu orçamento familiar é o principal meio de expressar o que é importante para vocês dois.

Haverá menos conflitos em um casamento marcado por planejamento financeiro cuidadoso e valores mútuos explícitos. Então, por que não começar a trabalhar em direção a este objetivo durante o noivado, planejando seu futuro orçamento e discutindo seus valores comuns? Um orçamento transforma conversas sobre dinheiro de reativo e baseado em restrições, à proativo e orientado por oportunidade.

5. Aceite o desafio de um só salário

Se quiser levar as coisas um passo além com o orçamento proposto, remova uma de suas receitas e descubra como viver com apenas um salário. Para alguns, tal pensamento é doloroso. Aqui estão quatro razões pelas quais peço aos casais que considerem esta prática:

  • Aprender a cortar gastos desnecessários, como jantar fora com freqüência, é um bom hábito. É necessário ter disciplina para viver com menos.
  • Uma segunda renda (enquanto estiver disponível) pode ser usada para eliminar dívidas ou para se preparar para o futuro (por exemplo, economizar para dar a entrada em uma casa ou fazer uma poupança para o futuro). Utilize a segunda renda para vigorosamente abater dívidas com altas taxas de juros.
  • Se a esposa deseja ficar em casa depois de ter filhos, é bom pensar agora (enquanto estão noivos) o que é necessário financeiramente para tornar isso possível. E não importa o que considerem que farão em relação ao emprego quando vierem os filhos, é necessário darem a si mesmos a flexibilidade para aquela nova fase da vida.
  • Um orçamento de renda única os preparará para as incertezas. Quando Jessica e John se casaram, ela engravidou logo no primeiro mês. Ela ficou doente durante toda a gravidez e não tinha mais condições de trabalhar. Eles não tinham planejado para esta situação, portanto não estavam preparados.

Mesmo que vocês não acabem vivendo com apenas uma renda, aprender a disciplinar seu orçamento é uma coisa sensata a fazer.

6. Estabeleçam o hábito de se comunicarem sobre as finanças

Não deixem um ao outro no escuro. Estremeço quando ouço alguém dizer: “Não sei nada sobre nossas finanças. Se meu cônjuge morrer, não sei o que faria.” Durante o noivado, conversem sobre suas finanças. Pensem, planejem e esquematizem juntos seu futuro financeiro. Estabeleçam o hábito agora, para que seja normal conversarem sobre isto após o casamento. Suas finanças são meios dados por Deus para construir união.

7. Desenvolva um plano para o duro trabalho de execução

Desenvolver um orçamento é fácil. Executar este orçamento é difícil. Muitas vezes conheci casais que criaram um orçamento viável, mas nunca conseguiram segui-lo inteiramente. Não deixe que seja assim com vocês.

8. Elimine as dívidas

Aproveitem o tempo enquanto vocês tem duas rendas e não têm filhos. Estabeleçam agora um cronograma de pagamento agressivo para eliminar as dívidas. Vocês não vão se arrepender.

9. Não permitam que circunstâncias difíceis atrapalhem sua generosidade

As igrejas na Macedônia estavam passando por grandes provas e não possuíam muito, mesmo assim eles contribuíram sacrificialmente (2 Co. 8.1-2). Eles eram pobres e mesmo assim contribuíram. O amor de Cristo os compeliu a viver desta maneira. Adotem uma mentalidade centrada no Evangelho que, não importa o quê, contribuirão generosamente para os outros.

10. Estabeleça o hábito de contribuir sacrificial e alegremente

Contribuir é um ato de graça (2 Co 8.6). É um reflexo da Graça que recebemos através de Cristo que, embora rico, se fez pobre por nossa causa (2 Co 8.9) Uma mentalidade centrada no Evangelho diz que por Cristo ter dado sua vida por mim, devo renunciar minha vida pelos outros. Uma vida saturada pelo Evangelho, então, resulta em generosidade para com os outros. Que nós não sejamos cristãos mesquinhos, mas que sejamos como aqueles que imploraram pelo privilégio de dar mais (2 Co 8.4).

Além disso, desenvolva o hábito de orientar-se pra fora, servindo aos outros, em vez de ficar obcecada em ter um dia de casamento perfeito. Dê seu dinheiro primeiro ao Senhor, em vez de gastar tudo em fornecedores do casamento.

11. Contribua para missionários e obras cristãs, mas comece por sua igreja local

Se a sua igreja local é o centro principal de seu crescimento espiritual, ela deve ser também o principal alvo de suas ofertas generosas (Gl 6.6). Contribua para missões, trabalhos em universidades ou muitas outras causas cristãs sólidas, mas comece com o plano primário de Deus para o avanço do Seu Reino — a igreja local.

Comece Agora

Pelo fato de que suas finanças são importantes para o Senhor, elas devem ser importantes para você e seu noivo(a). Não espere até que você esteja casado para levar as finanças a sério! Durante o noivado, você pode estabelecer o hábito de criar um orçamento, ajustar seus gastos, comunicar-se sobre o dinheiro e dar generosamente à sua igreja. Esta prática irá prepará-los para uma vida de escolhas financeiras sábias.

Administrar seu dinheiro de uma maneira que glorifica a Deus é um privilégio. Um desafio, com certeza, mas mesmo assim, um privilégio.

 

 

Traduzido por Cynthia Costa

CARREGAR MAIS
Loading