Uma Estratégia (Não Tão) Revolucionária para Ótimas “Horas Tranquilas”

Aaron Burden em Unsplash

A leitura da Bíblia e a oração são alimentos básicos ​​na dieta cristã. No entanto, por mais universal que sejam as “horas tranquilas” diárias, é interessante notar como poucas pessoas se sentem bem-sucedidas nesse empreendimento.

Basta perguntar a uma sala cheia de cristãos quantos minutos eles passaram em oração concentrada na semana passada, e observar a sala ficar em silêncio. Pergunte sobre o quão envolvidos eles estiveram na leitura da Bíblia, na memorização da Bíblia ou em qualquer tipo de estudo bíblico, e prepare-se para ouvir somente os ruídos de fundo.

Muitos cristãos vivem com o incômodo sentimento de que o tempo com Deus não tem a prioridade que deveria ter em suas vidas. Querem crescer no Senhor, mas simplesmente parecem não conseguir dominar a arte de ter “horas tranquilas” de qualidade. Pior, muitos começam a considerar sua “hora tranquila” como o inimigo que não conseguem vencer, ao invés do amigo que lhes dá vida.

Verdadeira Luta

Por que as “horas tranquilas” são tão difíceis? Talvez seja por causa de expectativas irreais ou por falta de aplicação. Talvez seja porque as “horas tranquilas” que outros postam nas redes sociais fazem com que as nossas pareçam inferiores.

Ou será que podemos estar tornando a coisa toda mais complicada do que necessita ser?

A ansiedade à respeito da “hora tranquila” muitas vezes está relacionada com a falta de frequência com que a fazemos. Imagine como você nos sentiríamos bem-sucedido se passássemos um pouco de tempo meditando na Palavra de Deus e em oração todos os dias do próximo ano. E se não deixássemos que a correria da vida minasse nosso tempo aos pés de Jesus (Lc 10.38-42)? Independentemente da “qualidade” do tempo investido, uma boa quantidade já faria uma enorme diferença.

Além disso, simplesmente tratar a “hora tranquila” como um item em nossa lista de tarefas a ser concluída, rapidamente ultrapassa esta motivação inicial. A Palavra de Deus é tão boa e a oração é tão proveitosa que, se nos comprometermos com estas práticas, os resultados virão. Isto desenvolverá um ímpeto próprio. A fidelidade conduzirá não apenas à rotina, mas também ao hábito que transformará nossa vida.

Aqui estão três razões pelas quais uma simples fidelidade funciona.

1. A Palavra de Deus Nos Transforma

A Bíblia tem uma maneira de convencer nossos corações do pecado, de corrigir nossos pensamentos, de despertar nossos espíritos e de mudar nossas vidas (Hb 4.12). O Salmo 19 diz que a Palavra de Deus restaura nossa alma, dá sabedoria, alegra nosso coração, ilumina nossos olhos e, é claro, nos afasta do pecado (Sl 19.7-11).

As Escrituras não se esquivam de declarar a sua grandeza — e por boas razões. Nas palavras da antiga canção da escola dominical, se estivermos lendo este livro à cada dia, inevitavelmente cresceremos, cresceremos e cresceremos.

2. A Oração Nos Afeta

Em 1 João 5:14-15, o apóstolo escreve:

E esta é a confiança que temos para com Ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que Ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito.

À primeira vista, é difícil crer que sempre “obtemos os pedidos que lhe temos feito”. Quando oramos corretamente, porém, estamos renunciando à nossa vontade e desejando a vontade de Deus, — à qual ele sempre diz “sim”.

Portanto, a oração nos recorda que desejemos a vontade de Deus acima da nossa própria vontade. Se nossa “hora tranquila” trouxesse somente este benefício, já valeria a pena.

A oração nos recorda que desejemos a vontade de Deus acima da nossa própria vontade.

A oração é também o ato de nos achegarmos junto ao trono da graça para pedir por socorro (Hb. 4.16). Entramos em oração com preocupações e saímos com a confiança no controle soberano de Deus sobre todas as coisas. O que mais se poderia desejar de uma “hora tranquila”?

3. Desejaremos Mais

As disciplinas espirituais se parecem um pouco com uma dieta saudável. Uma fatia de fruta pode não nos parecer atraente quando a olhamos. Mas se formos em frente e mordermos uma maçã suculenta, pensaremos: É saborosa. Darei outra mordida. Assim é com a Palavra de Deus e a oração — apenas exponencialmente mais.

A quantidade levará à qualidade inerente, o que, invariavelmente, levará a uma maior quantidade de melhor qualidade.

Os Salmos nos dizem que a Palavra de Deus é desejável, mais doce que o mel à boca (Sl 119.103). Provar a bondade das Escrituras criará um apetite por mais. Desejaremos ir mais a fundo e nos envolvermos mais. A oração fiel tem o mesmo efeito. Quanto mais conversarmos com Deus em fé, mais teremos suas respostas (Mt 7.7-11), o que resultará em querermos falar mais com ele.

Em suma, a quantidade levará à qualidade inerente, o que, invariavelmente, levará a uma maior quantidade de melhor qualidade. É um lindo ciclo.

Inicie o Ciclo

Essa estratégia revolucionária é pouco revolucionária; na verdade, é totalmente básica. Mas também é inteiramente verdadeira — se quisermos ter ótimas “horas tranquilas” necessitamos apenas começar a ter “horas tranquilas”. Grande parte da batalha é vencida simplesmente sentando-nos e abrindo a Bíblia e dedicando tempo para conversar com Deus.

Não se preocupe se sua “hora tranquila” não o fizer “sentir algo”. Não é necessário que seja digna de uma postagem no Instagram. O objetivo é ser fiel. Faça-a hoje e ao acordar amanhã, faça-a de novo. Ao persistir, estará bem encaminhado para uma vida de “horas tranquilas” robustas.

 

 

Traduzido por Bruno Nunes

CARREGAR MAIS
Loading