×
Procurar
Eu cliquei na página de Facebook dela, ansioso para ver seu marido novamente — um velho amigo — e seus dois filhos, agora crescidos e provavelmente com suas próprias famílias. Anos atrás, nossas duas famílias estavam entre os líderes mais promissores da nossa igreja. Eu os via como gigantes espirituais. Eles me pareciam ser humildes. Eles conheciam profundamente as Escrituras e andavam diariamente com Deus. Nós deixamos a igreja para estudar no seminário, eles para ir para outra cidade e por causa de uma posição mais alta na carreira corporativa. Com certeza, Deus tinha grandes planos para todos nós.
Isso foi há 20 anos.
As fotos que me olhavam de volta me deixaram em um absoluto silêncio. O marido havia desaparecido. Havia outro homem em seu lugar, uma visão que trouxe um enjoo instantâneo à boca do meu estômago. Os filhos também estavam ausentes. Sua filosofia de vida estava escrita lá, mas não mencionava nem Cristo nem nenhum outro deus: “Se você quiser ser alguém, você precisa agarrar a vida pela garganta antes que ela te agarre.” O único sinal de religião era um link para um artigo de um popular pregador da teologia da prosperidade, cujo título era “Encontrando o Melhor Você.”
Ah, não.
Dois cliques depois, localizei a página do Facebook do marido dela. A mesma coisa. Nova mulher, nova visão de mundo. Sem filhos, sem Deus — nada me fazia reconhecer a família que um dia conheci.
O que aconteceu? Onde estão os filhos? O que destruiu seu casamento? O que causou o naufrágio de sua fé — partindo do princípio que eles a haviam deixado? Não era para ter sido dessa forma.
O que aconteceu? Onde estão os filhos? O que destruiu seu casamento? O que causou o naufrágio de sua fé… ?
Então me sobreveio algo: Poderia ter sido comigo. Poderia ter sido minha família. De forma alguma presumo conhecer a verdadeira condição de seus corações — talvez eles se arrependam e voltem para Jesus — mas me ocorreu que existe uma única diferença entre minha história e a deles. Deus concedeu a mim e minha esposa uma graça perseverante.
Em minhas orações, raramente esqueço de ser grato pela Graça salvífica de Deus em Cristo; mas percebi que raramente agradeço a Ele pela graça diária que me mantém salvo. Desde que fiz essa descoberta, tenho orado pelos nossos antigos amigos, mas também tenho agradecido ao Senhor por continuar enviando ondas diárias de graça para as praias da minha vida.

Preservado para Perseverar

Quando foi a última vez que você se alegrou na graça preservadora de Deus? Ao pregar sobre Tiago 4 recentemente, cheguei ao versículo 6: “Antes, Ele dá maior Graça.” Eu continuo a crer, a me arrepender dos pecados diários, a ler a Bíblia, a pregar e a ensinar a Palavra de Deus, a escrever sobre as coisas de Deus, a amar minha família somente por uma razão: Deus continua sua obra em meu coração.
Nossos debates sobre “uma vez salvos, salvos para sempre” ou a perseverança dos santos são, geralmente, unidimensionais, com poucas nuances. Em outras ocasiões, já defendi a doutrina de que os verdadeiros crentes não podem perder sua salvação, e creio que as Escrituras são claras nesta questão. A Palavra de Deus também prevê que o atrito do tempo e das circunstâncias irão, mais cedo ou mais tarde, desmascarar pseudocrentes como falsos convertidos. (ex. 1 Jo 2.19; Parábola do Semeador; e assim por diante).

Jesus, o Guerreiro de Oração

Persevero na Graça de Deus porque o Filho de Deus está orando por mim. Agora, neste exato momento, enquanto digito esta frase, Jesus está à direita de Deus orando por mim — por todo seu povo. A Oração Sacerdotal do nosso Senhor nos dá uma poderosa amostragem de como Jesus intercede por seu povo:
“Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste… Quando eu estava com eles, guardava-os no teu nome,.. e nenhum deles se perdeu… Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal… Santifica-os na tua verdade; a tua Palavra é a verdade… Eu lhes fiz conhecer o teu nome e ainda o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles esteja.” (Jo 17)
Persevero na Graça de Deus porque o Filho de Deus está orando por mim.
Jesus também intercedeu por Pedro, sabendo que o Diabo iria peneirá-lo como trigo, mas que ele retornaria — porque Jesus orou por ele. O final do Evangelho de João descreve a restauração de Pedro.
Se você for um crente desencorajado, encoraje-se em saber que Jesus está orando por você neste momento. Suas orações não são como as nossas; elas não são confusas, não provém de motivações compostas, não são falíveis. Ele ora perfeitamente, e o Pai responde. Todas as vezes. Você está perseverando na Graça por causa da oração de seu grande sumo sacerdote, por você, à direita do Pai.

Alegre-se na Graça Prevalecente

Isto não significa que somos passivos em nossa perseverança. Continuamos crendo em Cristo, mesmo passando por perigos, labutas e armadilhas. É totalmente bíblico dizer que estamos perseverando e que Deus está nos preservando.
É totalmente bíblico dizer que estamos perseverando e que Deus está nos preservando.
Eu enxergo a mão soberana de Deus ao refletir em alguns dos momentos mais importantes de minha vida. Houveram professores da faculdade que tentaram me convencer a desistir da minha fé, mas Cristo mesmo assim foi maior. Meu pai morreu inesperadamente quando eu tinha 22 anos, seis semanas antes de me formar na faculdade. Aquilo partiu meu coração, mas Cristo foi maior mesmo assim. Minha esposa e eu perdemos nosso primeiro filho devido a um aborto espontâneo. Nós ficamos em um luto profundo, mas Cristo foi maior mesmo assim. Meu primeiro pastorado foi repleto de provações e acabou bem antes do que eu planejava, mas Cristo foi maior mesmo assim.
Você ainda está seguindo a Jesus mesmo passando por lutas e dificuldades? Você está confiando nele apesar de haver milhares de vozes dizendo para você se segurar nas coisas que consegue ver? Se este for o caso, agradeça a Deus por sua Graça preservadora. Ele o tem preservado, e continuará a preservá-lo, apesar de dias difíceis que ainda estejam por vir — até que Ele complete a obra que começou e você possa vê-lo face a face.
Traduzido por Kellvyn Mendes
CARREGAR MAIS
Loading