×
Procurar

Em Humildade, Considere Outros Ministérios Mais Importantes Do Que O Seu Próprio

Quais são seus objetivos para o ano novo? Muitas vezes, reavaliamos nossas prioridades e compromissos em janeiro. Decidimos como e onde investir nosso tempo nos próximos meses. Pode ser que nos comprometamos com um nível maior de envolvimento em um determinado ministério. E, às vezes entusiasmados, nos tornamos super zelosos no propósito de que outros se comprometam com a mesma causa.

“Deus está fazendo coisas incríveis neste ministério. Gostaria que mais pessoas participassem.” Como esposa de pastor há 16 anos, já tive esta conversa em mais de uma ocasião.

Entendo este sentimento. Sou apaixonada pelos estudos bíblicos para mulheres e ao longo dos anos já participei de vários grupos. Às vezes fico frustrada ou desanimada, me perguntando por que todas as mulheres da igreja não ficam entusiasmadas por aquilo que considero uma bênção.

Quando se trata de ministérios que amamos, é fácil ter visão limitada. Cremos que nosso ministério deve ter multidões de voluntários e ter uma parte generosa do orçamento da igreja. Nos perguntamos por que os outros não ficam tão empolgados com o nosso ministério, e por que não estão dispostos a investir a mesma quantidade de tempo e energia que nós.

Às vezes, a área pela qual somos apaixonados exige habilidades especiais ou disponibilidade. Por exemplo, alguém que sofre de uma doença crônica não pode reconstruir casas ou servir refeições para os sem-teto a cada semana. O homem que acabou de perder o emprego não pode se dar ao luxo de comprar café de comércio justo que beneficie adoções. A mãe que trabalha fora não pode participar de um estudo bíblico nas manhãs de segunda-feira.

Outras vezes, nossos irmãos não estão participando do “nosso” ministério porque já estão comprometidos com outros ministérios valiosos.

Infelizmente, nossa decepção por não estarem servindo da maneira que queremos pode nos levar a atitudes de julgamento e à amargura. Já vi relacionamentos se desfazerem e as pessoas se afastarem da igreja porque seu ministério não recebeu a atenção, o dinheiro ou os voluntários que eles criam ser necessários.

Um Corpo, Muitos Membros

Quando ficamos desiludidos com os outros no ministério, encontramos uma exortação relevante em Romanos 12.3:

Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.

Paulo percebia que a base da nossa frustração é o orgulho. Nossa pressuposição negativa de que os outros não são tão comprometidos com o reino de Cristo quanto nós, ou que estão optando por investir seu tempo em coisas menos significativas, está enraizada em pensar que a nossa agenda é mais importante.

Em vez disso, devemos nos alegrar com os vários dons e paixões com as quais Deus nos abençoou no corpo de Cristo:

Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros, tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; (Rm 12.4-6).

Deus nos concede diferentes dons que são necessários dentro do corpo de Cristo. Aquilo que uma pessoa não tem, outra tem. E sem qualquer um dos dois, a igreja não estaria completa.

Da mesma forma, o entusiasmo que Deus nos deu pelos ministérios serão diferentes. Enquanto uma pessoa está entusiasmada com o evangelismo de rua e em mobilizar outras pessoas para compartilharem sua fé, outra pessoa pode silenciosamente servir visitando os doentes ou idosos.

Ministério para o Bem Comum

Com esta compreensão, aqui estão cinco maneiras de libertar os outros da carga de nossas expectativas:

1. Lembre-se de que estamos todos investidos no ministério mais importante da igreja, que é de glorificar a Deus e desfrutá-lo para sempre. Em nossos ministérios cotidianos e especialmente em nosso culto corporativo, estamos participando juntos de nossa mais alta vocação. Nossos ministérios não estão competindo uns com os outros, mas servem ao mesmo objetivo final.

2. Seja grato pela variedade de dons no corpo de Cristo. Em vez de lamentar por que mais pessoas não estão servindo em sua área de ministério, seja grato pela multiplicidade de maneiras pelas quais Deus está usando seu povo para servir aos outros.

3. Reconheça que o corpo de Cristo seria incompleto sem os vários dons e ministérios das pessoas dentro da igreja. “Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde, o olfato? (1Co 12.14,17).

4. Confesse qualquer pensamento de críticismo. Arrependa-se e peça a Deus para ajudá-lo a estender a graça e a bondade àqueles que têm prioridades diferentes.

5. Dê liberdade para que outros sirvam. Anime-se com os novos ministérios surgindo dentro do corpo de sua igreja. Junte-se a outros em oração e encorajamento pelo que Deus lhes deu para fazer. Liberte-os de expectativas que você possa ter a respeito de seu tempo e energia, para que possam se concentrar livremente em sua própria vocação.

Nossos dons e chamados únicos são uma maneira pela qual podemos ministrar juntos pelo “fim proveitoso” (1Co 12.7). Em vez de nos concentrarmos naquilo que desejamos que os outros estivessem fazendo, vamos seguir de todo o coração o plano de Deus para nós e dar liberdade aos outros para fazerem o mesmo.

Traduzido por Giovanna Braz dos S. Garotti

 

CARREGAR MAIS
Loading